Sem multa, caminhões são vetados na Marginal

A partir de hoje, veículos têm horário restrito na via do Tietê; autuações, só em janeiro

BRUNO RIBEIRO, O Estado de S.Paulo

12 Dezembro 2011 | 03h01

Ainda de forma experimental, com a promessa de que a lista de restrições será revista, começa hoje a proibição do trânsito de caminhões na Marginal do Tietê e nas outras vias que formam o minianel viário ao redor do centro expandido. Não há, porém, definição da data para cobrança de multa de quem furar as novas regras - provavelmente em janeiro.

A restrição vale de segunda a sexta, das 4h às 10h e das 16h às 22h. E, aos sábados, das 10h às 14h. A promessa da Prefeitura, que enfrenta resistência de empresários do setor de transportes, é aumentar em 20% a velocidade média dos carros na via.

A divulgação da última lista de restrições, na sexta-feira, ocorreu de forma tumultuada. A Avenida das Juntas Provisórias, que faz a ligação entre a Avenida Presidente Tancredo Neves e é rota obrigatória para os veículos que vêm da Via Anchieta e precisam acessar a Vila Carioca - que tem forte concentração industrial - está entre as vias com trânsito restrito. Mas parte dela deverá ter a restrição liberada para garantir esse acesso.

O Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas do Estado de São Paulo afirma que não há como a medida não afetar o abastecimento da capital - especialmente o transporte ligado às empresas de bairros como Vila Maria e Vila Guilherme, na zona norte.

A lista da sexta-feira trouxe vias diferentes das anunciadas em novembro, quando a Prefeitura confirmou que proibiria os caminhões na Marginal do Tietê. O projeto era estudado havia mais de um ano, mas era preciso esperar o término do prolongamento da Avenida Jacu-Pêssego para começar a valer.

Com a Jacu-Pêssego ampliada, os caminhões vão poder ir do Trecho Sul do Rodoanel às Rodovias Ayrton Senna-Carvalho Pinto e Dutra sem passar pelo centro - a avenida serve como um Trecho Leste informal, já que o definitivo deve ficar para 2014.

Promessas. A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) tem duas expectativas principais com a restrição de caminhões: primeiro, o corpo técnico da companhia espera aumentar em um quinto a velocidade média dos automóveis que circulam pela Marginal. A promessa é que a melhora seja tanta que parte dos veículos que passam pela Radial Leste migre para a via do Tietê, o que deve aumentar a fluidez na avenida que atravessa o centro paulistano.

O outro objetivo é retirar de vez todo o tráfego de passagem dos caminhões de São Paulo. Antes do Rodoanel, não havia outra opção de ligação entre as dez rodovias que passam pela região sem entrar na cidade. Agora, mesmo sem que o Rodoanel esteja completo, já é possível usar os trechos em operação - Oeste, com 32 km, e Sul, com 61 - para evitar a circulação na capital.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.