Sem contrato de plantio, SP doará 200 mil mudas

Acordo para o serviço com empresa especializada não é renovado e Prefeitura propõe distribuir árvores à população no Dia do Meio Ambiente

Adriana Ferraz, Artur Rodrigues, O Estado de S.Paulo

06 Junho 2013 | 02h03

Sem contrato em vigor para fazer o plantio de árvores na capital, a gestão do prefeito Fernando Haddad (PT) anunciou ontem, Dia Mundial do Meio Ambiente, que vai distribuir 200 mil mudas à população. Os acordos com empresas especializadas não foram renovados e, desde abril, o serviço depende exclusivamente das equipes de zeladoria espalhadas pelas subprefeituras. São 70 no total, que têm ainda de cuidar de todas as praças e de todos os canteiros da cidade, além de realizar o serviço de poda.

Segundo a Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente, a gestão está "repensando diretrizes para o programa de arborização" e ainda decidirá se vai ou não firmar novos contratos para a retomada do plantio terceirizado. De janeiro a maio deste ano, foram plantadas cerca de 8 mil mudas na capital - sendo 2,7 mil sob o comando das subprefeituras (34%).

A gestão Gilberto Kassab (PSD) afirmava ter plantado, nos últimos quatro anos, um total de 800 mil mudas. Esse número inclui também o replantio de árvores cortadas durante a realização de obras públicas ou mesmo privadas.

Com a queda no plantio, o estoque de mudas da cidade está lotado. As espécies ficam armazenadas no Viveiro Manequinho Lopes, no Parque do Ibirapuera, zona sul. Segundos funcionários ouvidos pela reportagem, já não há espaço para receber doações ou mesmo armazenar o que é produzido pela Prefeitura - por ano, são cerca de 90 mil novas mudas.

O secretário do Verde e do Meio Ambiente, Ricardo Teixeira (PV), disse ontem que a distribuição será feita a partir de segunda-feira nos parques municipais, mas não explicou se a população será orientada a respeito do plantio correto. "Precisamos que cada cidadão se aproxime do meio ambiente. Para isso, essa grande ação de estar doando 200 mil mudas. Se população assim entender haverá mais", disse Teixeira.

Atualmente, os viveiros da capital já distribuem tanto mudas de árvores como de plantas - a lista inclui exemplares medicinais ou até decorativos. Juntos, os Viveiros Manequinho Lopes e Arthur Etzel, que fica no Parque do Carmo, na zona leste, produzem cerca de 1,5 milhão de mudas por ano. O interessado apenas precisa comprovar que mora na cidade para ter direito a levar até cinco exemplares.

Explicação. O fim dos contratos, na análise de representantes da Comissão de Política Urbana e Meio Ambiente da Câmara Municipal, vai prejudicar serviços paralelos, como a poda e a manutenção das árvores plantadas nos últimos anos. "Essa gestão quer acabar com o programa de plantio existente na cidade, quando ele deveria ser ampliado. A comissão vai convocar o secretário (Ricardo Teixeira) a se explicar na Casa", disse o vereador Floriano Pesaro, líder do PSDB.

Representantes da oposição ainda criticam o que classificam como falta de interesse político do atual governo em promover ações voltadas à proteção ambiental. No plano de metas apresentado por Haddad em março, não constam novos parques nem metas específicas para o plantio de árvores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.