Felipe Rau/AE - 15/6/2010
Felipe Rau/AE - 15/6/2010

Sem acordo, Belas Artes vai mesmo fechar; última sessão será na 5ª

Proprietários do imóvel recusaram oferta de R$ 1 milhão de aluguel anual por cinema

Bruno Paes Manso, O Estado de S. Paulo

16 Fevereiro 2011 | 15h36

SÃO PAULO - O Cine Belas Artes vai mesmo fechar as portas. Os advogados do proprietário do imóvel, Flávio Maluf, acabaram de recusar a oferta de R$ 1 milhão de aluguel anual (R$ 85 mil por mês) feita pelos sócios Pandora e O2 Filmes.

 

O valor atual do aluguel, que já havia sido reajustado, era de R$ 63 mil. Os sócios do Belas Artes haviam conseguido um patrocinador e na segunda-feira aumentaram a oferta. O proprietário pede R$ 150 mil por mês.

 

A última sessão deve ocorrer na próxima quinta-feira. "Quero fazer algo para cima. Não tive tempo ainda para pensar em algo porque estava muito ansioso e com esperança de reverter a situação", diz o sócio André Sturm.

 

A última esperança é o processo de tombamento do Belas Artes, que está sendo analisado pelo conselho municipal de patrimônio histórico (Compresp). "Os advogados disseram que preferem enfrentar esse processo", disse Sturm.

 

Caso seja tombado pelo seu valor cultural, o prédio do Belas Artes fica proibido de receber outra atividade que não seja cinema. O tombamento não envolve nenhum tipo de gasto de dinheiro público.

Mais conteúdo sobre:
Belas Artes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.