Secretário morreu por encomenda, afirma MP

Secretário morreu por encomenda, afirma MP

PORTO ALEGRE

, O Estadao de S.Paulo

02 Abril 2010 | 00h00

A Justiça aceitou ontem uma denúncia-crime do Ministério Público do Rio Grande do Sul contra oito pessoas acusadas de participação na morte do secretário de Saúde de Porto Alegre, Eliseu Santos. Elas teriam ligação com uma empresa de vigilância supostamente envolvida em ilegalidades. Segundo o MP, o político foi vítima de crime encomendado. Ontem, um terceiro suspeito do homicídio foi preso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.