Saturação da Luz faz projeto da Tamanduateí ficar apenas no papel

A Estação Tamanduateí, da Linha 2-Verde, inaugurada em 2010, era tida como um exemplo da integração do transporte urbano da Grande São Paulo. A linha de trem que passava por lá estava integrada às Linhas 1-Azul, 3-Vermelha e 4-Amarela e ela era uma estação da Linha 2-Verde. O local teria ônibus intermunicipais e ofereceria estacionamento E-Fácil para os usuários. Tratava-se de uma grande conexão entre vários modais para facilitar os deslocamentos.

O Estado de S.Paulo

16 Julho 2012 | 03h01

A superlotação da rede de transportes já fez parte dessas vantagens ser perdida. A saturação da Estação da Luz, que ocupa um prédio antigo e tombado foi tanta que, no começo do ano, o metrô cortou a ligação entre a Linha 10 e a estação. E o E-Fácil dali nunca chegou.

Custo. Nas redondezas da estação, já há dois estacionamentos particulares - com preços médios de R$ 15 a diária e sem nenhuma integração com o metrô. Sem contar os estacionamentos que surgiram em outra estação, a Sacomã, distante cerca de um quilômetro dali. "Eu gasto R$ 25 por dia entre estacionamento e metrô. Com esse sistema, gastaria metade disso", disse a assistente fiscal Jessica Rosário, de 24 anos, usuária de um dos estacionamentos do Sacomã. /B.R.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.