São Paulo Reclama

São Paulo Reclama

SABESP

, O Estadao de S.Paulo

02 Abril 2010 | 00h00

Desperdício de água

As recomendações da Sabesp feitas aos consumidores pela mídia, estimulando a economia de água, líquido cada vez mais precioso, são muito bem elaboradas e procedentes. Mas há um vazamento próximo a minha casa, na Rua Clarice Lispector, em Osasco, há mais de 20 dias. Meus vizinhos já pediram o reparo à concessionária. Diante da falta de solução, no dia 6/3 solicitei o conserto e o atendente disse que o prazo para resolver o problema era de 24 horas. No dia 9/3, como não houve resposta, entrei em contato com a Sabesp e o funcionário confirmou a existência de meu pedido. Como providência, solicitou urgência. Em 10/3, relatei a outra atendente que o problema ainda não fora resolvido e ela solicitou novamente urgência no atendimento. Ainda no dia 10, já não confiando nas promessas dos atendentes, entrei em contato com a Ouvidoria. Mas em 11/3 nada havia sido feito. Conclusão: há praticamente um mês água potável é desperdiçada.

VALTER SPIRANDELLI / OSASCO

O superintendente da Unidade de Negócio Oeste da Sabesp, Milton de Oliveira, informa que o conserto do respectivo vazamento foi realizado no dia 19/3, regularizando tal situação.

O leitor diz: O problema foi solucionado 3 dias após eu enviar um e-mail ao jornal. Entretanto, há outro vazamento na minha rua, na altura do n.º 99 - para o qual ainda não fiz nenhuma queixa. Não sei qual é o tempo padrão da Sabesp para reparar vazamentos, mas creio que companhia não deveria demorar mais do que 6 horas para repará-los já que administra "água" e, como ela mesma recomenda, não podemos desperdiçá-la.

MEIO AMBIENTE

Peixes mortos na República

No dia 24/3 a Prefeitura deu início à remoção de peixes e tartarugas do lago que está secando na Praça da República. À tarde, moradores de rua disputaram entre si, com unhas e dentes, cerca de 50 carpas retiradas sem vida da água esverdeada e malcheirosa, segundo testemunhas. Os peixes foram encontrados dentro de dois sacos na praça, ao lado de um banheiro abandonado. Foi retirado do lago muito lixo, como pneu, carcaça de geladeira, guarda-chuvas e dezenas de preservativos.

DEVANIR AMÂNCIO / SÃO PAULO

A Subprefeitura Sé informa que realizou na semana passada, com acompanhamento de técnicos especializados da Secretaria do Verde e Meio Ambiente (SVMA), a transferência dos peixes de dois lagos da Praça da República, que apresentavam vazamento, detectado pelo alto consumo de água. Durante a operação, foram tomados todos os cuidados no manejo desses peixes, mas, por se tratar de uma espécie exótica e sensível, durante essa transferência alguns não resistiram à mudança de ambiente. Diz ainda que os peixes foram encaminhados para os outros lagos da praça e para os Parques Nabuco e Luz, Instituto de Pesca e Divisão de Fauna da SVMA e retornarão aos lagos assim que os reparos forem concluídos.

SERVIÇO DOS CORREIOS

O GPS sumiu

Adquiri um GPS da Ipiranga Shop. Como o sinalizador de carregamento de bateria não funcionava, solicitei a troca dentro de todas as condições estabelecidas pela empresa. Mas o pacote parece ter sido extraviado pelos Correios. Postei o GPS, em 1.º/3, na agência Brooklin Paulista e, até o dia 16/3, ele não havia sido entregue ao destinatário. O prazo de troca se esgotou, já registrei inúmeras queixas nos Correios pelo telefone. Já reclamei até na Ouvidoria, que não me respondeu. O prazo estipulado para eu receber uma resposta já acabou e, agora, funcionários dos Correios dizem que não sabem quando poderão informar algo sobre a situação. Não aceito ficar com um prejuízo de cerca de R$ 400 por conta da ineficiência dos Correios. Quem vai pagar a minha conta? Quem vai se responsabilizar por localizar (se ainda é possível) o GPS e negociar a troca fora do prazo ou então me reembolsar pelo valor que paguei por ele?

GIOVANNA CARNIO / SÃO PAULO

O diretor regional dos Correios da São Paulo Metropolitana, José Furian Filho, responde que, conforme previsto para o serviço, a leitora sra. Giovanna receberá a restituição postal no valor de R$ 9,11 por causa do atraso da entrega. Diz que a leitora foi comunicada do fato em 22/3.

A leitora diz: Após quase 20 dias, o pacote apareceu. Mas os Correios seguem sem me atender, sem me dar resposta a respeito das despesas que tive por conta desse extravio e misterioso reaparecimento do pacote. Não respondem meus e-mails. O setor de comunicação me mandou um e-mail somente depois de eu enviar a reclamação ao jornal, que intermediou

o problema.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.