NILTON FUKUDA/ESTADÃO
NILTON FUKUDA/ESTADÃO

Sabesp vai fazer 'feirão' de imóveis e terrenos em meio à crise hídrica

Companhia também encaminhou uma lista de 22 municípios devedores ao Cadastro Informativo dos Créditos Não Quitados de Órgãos e Entidades Estaduais (Cadin)

O Estado de S> Paulo

20 Julho 2015 | 13h37

SÃO PAULO - A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) informou que quer colocar parte de seus terrenos e imóveis inativos à venda. No total, serão 24 propriedades, com uma estimativa de ganho de R$ 195 milhões. Além disso, disse que realizará um “feirão” para que devedores públicos e privados possam renegociar suas dívidas. A companhia já encaminhou uma lista de 22 municípios devedores ao Cadastro Informativo dos Créditos Não Quitados de Órgãos e Entidades Estaduais (Cadin). 

As informações, divulgadas em nota, foram antecipadas pelo presidente da Sabesp Jerson Kelman ao jornal Folha de S. Paulo.

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) confirmou ontem as medidas. Para ele, no entanto, é difícil precisar os ganhos com as vendas, por causa da crise econômica no País. "Pela minha experiência, ainda mais num momento de crise, não é fácil vender ativos. Mas é importante ter uma política de que ativos que não sejam operacionais", afirmou.

O governador negou que a cobrança aos municípios tenha relação com a crise hídrica e defendeu a ação. "É preciso priorizar (a cobrança) porque, se você não cobra, aquele que paga deixa de pagar. Independentemente da crise hídrica, isso é uma rotina que deve ser feita sempre". Os nomes dos municípios e de outros possíveis devedores não foram divulgados.

Mais conteúdo sobre:
cadin sabesp dívida crise hídrica

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.