Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Sabesp captará 4,7 mil litros de paraíso ecológico

A fonte que ajudará a região metropolitana de São Paulo a reduzir a dependência do Cantareira fica em um paraíso ecológico. A Cachoeira do França, no Rio Juquiá, onde a Sabesp captará 4,7 mil litros de água por segundo a partir de 2017, está cercada por Mata Atlântica.

O Estado de S.Paulo

13 Abril 2015 | 02h01

A represa integra conjunto de oito reservatórios feitos para fornecer energia a uma indústria da região de Sorocaba. A abundância e a qualidade da água convenceram o governo da viabilidade de buscar água no Vale do Ribeira. Para chegar à Grande São Paulo, a água tem de vencer desnível de 360 metros e distância de quase 100 quilômetros.

O projeto é desenvolvido pelo Sistema Produtor São Lourenço. As adutoras se estenderão por 83 quilômetros, subindo a Serra do Mar para chegar e abastecer Vargem Grande Paulista. A água será distribuída ainda para Barueri, Carapicuíba, Cotia, Itapevi e Santana do Parnaíba, podendo atender a zona oeste da capital.

São previstas novas captações na Bacia do Rio Juquiá, que tem volume estocado equivalente a dois Cantareiras. A diferença é que as represas do Cantareira perderam quase toda a mata ciliar. Já as águas do Vale do Ribeira continuam protegidas pela floresta. / JOSÉ MARIA TOMAZELA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.