Rio Claro teme atrair mais criminosos

Em Rio Claro, no interior de São Paulo, o aumento da criminalidade mobilizou autoridades para conter os casos de assassinatos que colocaram a cidade na 3.ª posição no ranking de municípios com maior taxa de homicídios por 100 mil habitantes no primeiro bimestre deste ano.

RICARDO BRANDT / CAMPINAS, O Estado de S.Paulo

28 Março 2013 | 02h03

"Percebemos que os assassinatos têm relação com a disputa entre traficantes na periferia", afirmou o delegado seccional de Rio Claro, Roberto Daher. Nos dois primeiros meses do ano foram 11 assassinatos. "Em 2011 houve crescimento da violência na cidade e conseguimos reduzir os índices em 2012. No fim do ano passado percebemos que houve um indicativo de crescimento. Janeiro foi um mês violento e por isso reforçamos as ações entre Polícias Civil e Militar e Guarda Municipal", explicou o delegado.

Para os moradores, o aumento da violência atrai mais criminalidade para a cidade, que tem 189 mil habitantes. "Pagamos impostos, mas não temos segurança. Os assassinatos geralmente envolvem tráfico, mas o aumento da criminalidade como um todo leva quem comete crime na região a ver Rio Claro como uma cidade onde não há presença do Estado", reclamou o gerente executivo da Associação Comercial e Industrial de Rio Claro, Clóvis Delboni.

Em Campinas, onde houve 24 assassinatos no 1.º bimestre, o delegado-assistente do Deinter 2, Renato Lauer, afirmou que foi registrada queda nos homicídios após o reforço das equipes na Delegacia de Homicídios. "Aumentamos o número de solução de inquéritos de 22% para 52% e isso com o tempo reduzirá os índices de criminalidade", afirmou Lauer. "Temos reduzido a cada ano os assassinatos, mas muitos são crimes passionais."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.