República do Líbano pode ter cratera por 6 meses

A gestão Fernando Haddad (PT) informou ontem que pode demorar até seis meses para fechar a cratera aberta na Avenida República do Líbano, em Moema, na zona sul da capital. O buraco de 40 metros de extensão se formou durante o temporal do fim de semana e complica o trânsito na região. A via está interditada entre a Rua do Gama e a Alameda Jauaperi, no sentido centro.

O Estado de S.Paulo

12 Março 2013 | 02h02

Segundo a Prefeitura, a laje da galeria de águas pluviais do Córrego Uberaba, que passa embaixo da via, não aguentou o excesso de chuva e desmoronou. A galeria e o pavimento terão de ser refeitos. As obras começaram com a desobstrução da galeria e a contenção das laterais. Por se tratar de um serviço emergencial, o prazo legal para a conclusão é de 180 dias.

Até lá, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) recomenda aos motoristas que evitem a região. Mas quem precisa passar pela via deve prestar atenção aos desvios.

Faixa reversível para ônibus foi instalada na Avenida República do Líbano, entre as Alamedas dos Arapanés e Jauaperi, no sentido centro.

Alertas. O prefeito Fernando Haddad (PT) afirmou que a Defesa Civil deve emitir alertas à população em dias com previsão de fortes chuvas para evitar casos como os das duas pessoas que morreram sábado, tragadas pela enxurrada. A ideia é usar meios de comunicação para orientar a população. "Temos de ter comunicação mais pró-ativa. Se sabemos que haverá chuva forte, com antecedência temos de nos comunicar mais firmemente com a sociedade", disse. "Por exemplo, em dias de temporal, crianças não devem estar sozinhas na rua e carros não podem ficar sob árvores onde há acúmulo de água." /ADRIANA FERRAZ e ARTUR RODRIGUES

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.