1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Relógios devem ser atrasados em uma hora à meia-noite

O Estado de S.Paulo

15 Fevereiro 2014 | 02h 07

Horário de verão termina com economia de R$ 405 milhões e redução de 4,1% na demanda de energia

O horário de verão termina hoje à meia-noite, quando os relógios terão de ser atrasados em uma hora nos Estados das Regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. O País economizou R$ 405 milhões com a mudança, adotada em 20 de outubro. Houve redução de aproximadamente 4,1% na demanda por energia nos horários de pico.

Os dados sobre o comportamento do Sistema Interligado Nacional (SIN) foram divulgados ontem pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) e apontam para uma redução da demanda por energia elétrica no horário de pico de 2.565 megawatts (MW) - 1.915 MW no Subsistema Sudeste/Centro-Oeste e 650 MW no Subsistema Sul.

No Sudeste/Centro-Oeste, a redução equivale a, aproximadamente, 50% da carga no horário de ponta da cidade do Rio (que tem 6,4 milhões de habitantes), ou a duas vezes a carga no horário de ponta de Brasília (2,6 milhões de habitantes). No Sul, representa 75% da carga no horário de ponta de Curitiba (1,8 milhão de habitantes).

Para o ONS, no entanto, o principal benefício do horário é evitar apagões. Trata-se do "aumento da segurança operacional, resultante da diminuição dos carregamentos na rede de transmissão. Do total de R$ 405 milhões economizados, R$ 125 milhões se referem somente à redução da geração térmica.

Transporte. Para evitar transtornos na capital paulista para quem precisar usar transporte público neste sábado, a Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô) e a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) estenderão a operação comercial por mais uma hora. Os passageiros poderão embarcar até a 1 hora do horário normal (2 horas do horário de verão).

  • Tags: