Registro é feito até com olhar

Na sessão do dia 27 de junho, a vereadora Edir Sales (PSD) entrou no plenário e seu nome não estava no painel. Edir cumprimentou alguns colegas, olhou para um dos funcionários e, em seguida, seu nome surgiu no equipamento sem que a própria parlamentar tivesse feito o registro no terminal na sua mesa.

O Estado de S.Paulo

01 Julho 2012 | 03h01

A poucos metros dela, um dos servidores do grupo comandado por Zé Careca notou a entrada de Edir no plenário, puxou a gaveta à frente dele e mexeu no terminal de presenças.

Essa cena é comum na Câmara. Nesse dia, situações semelhantes aconteceram com os vereadores Antônio Carlos Rodrigues (PR), Zelão (PT) e Wadih Mutran (PP). Mutran até mesmo bateu nas costas de Zé Careca e pediu que marcasse presença por ele. Em outra ocasião, pediu que colegas fizessem a marcação. / A.F. e D.Z.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.