Reforma da Biblioteca Mário de Andrade atrasa

Com prazos estourados, a conclusão da reforma da Biblioteca Municipal Mário de Andrade, no centro de São Paulo, deve ficar para o fim deste ano. Os portões estão fechados desde setembro de 2007, quando a obra começou. Desde aquela época, os quase 300 mil livros da segunda maior biblioteca pública do País estão inacessíveis. A previsão inicial era março de 2009.

Cristiane Bomfim, O Estado de S.Paulo

16 Abril 2010 | 00h00

"É um total descaso do poder público", afirma o escritor Ignacio de Loyola Brandão que, no início da carreira como jornalista, nos anos 1950, frequentava o espaço para fazer pesquisas. Na década de 1970, cerca de 1.500 pessoas visitavam diariamente a Biblioteca Mário de Andrade.

Benefício. A obra foi orçada em R$ 13,2 milhões. Nesses quase três anos, o valor chegou a R$ 26,65 milhões. A diretora, Maria Christina Barbosa de Almeida, garante que os usuários se sentirão compensados com a reabertura. "Ela será moderna e todo o acervo poderá ser consultado." Os cerca de 3 milhões de jornais e revistas do acervo de periódicos devem ocupar, no fim do segundo semestre de 2011, pelo menos dez dos 15 andares do prédio anexo da biblioteca.

O NOME

Poeta, romancista, crítico de arte, musicólogo, professor universitário e ensaísta, Mário de Andrade (1893-1945) foi um dos criadores da Semana de Arte Moderna de 22

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.