Reajuste na Zona Azul é suspenso por suspeita de fraude

Preço iria subir de R$ 1,80 para R$ 3,00; segundo secretário, suspensão é por tempo indeterminado

Central de Notícias,

29 Junho 2009 | 15h36

O secretário Municipal de Transportes, Alexandre de Moraes, anunciou na manhã desta segunda-feira, 29, a suspensão, por tempo indeterminado, do reajuste da folha de Zona Azul. O novo preço estava previsto para entrar em vigor a partir desta quarta, 1º. A suspensão ocorreu, segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), por causa de denúncias de que as empresas terceirizadas responsáveis pela venda estariam 'segurando' os talões até o dia do reajuste.

 

Veja também:

link Secretário promete Zona Azul vertical no centro

link Em 1 ano, mais 678 vagas de Zona Azul

 

Segundo Moraes, desde o anúncio do reajuste, em maio, a secretaria esperava o aumento na busca por folhas de Zona Azul e, por isso, o repasse mensal de talões a essas empresas foi de 359 mil, 131 mil a mais que o normal. Mesmo com o aumento, a CET passou a receber diversas reclamações de cidadãos que não conseguiam encontrar mais folhas para comprar. Moraes pediu então a abertura de sindicância para investigar quais os motivos do desabastecimento de Zona Azul.

 

Com o reajuste, cada folha passaria a custar R$ 3,00, isto é R$ 1,20 a mais em relação ao cobrado atualmente. O talão com dez folhas seria vendido por R$ 28. Uma folha permite ao motorista manter seu carro estacionado na área reservada por uma hora.

 

Atualizado às 16h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.