Reajuste de 6.5% evita greve de lixeiros

A operação-padrão de coleta de lixo e varrição de ruas, iniciada pelos lixeiros e garis no dia 22, foi suspensa ontem. A categoria aceitou a proposta das empresas de reajuste de 6,5% sobre as remunerações mensais e benefícios. Desde sexta-feira, os coletores de lixo deixaram de fazer horas extras, reduzindo a jornada de trabalho, segundo o sindicato, de 13 para 8 horas, como preparação para a greve que começariam hoje. A elaboração da nova proposta feita pelas empresas durou toda a tarde de ontem, mas não contempla o plano de saúde e a redução na jornada de trabalho - outras reivindicações da categoria. O sindicato que representa as empresas de limpeza não se pronunciou sobre o assunto.

, O Estado de S.Paulo

27 Abril 2010 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.