Rapaz é morto durante tentativa de assalto

Ele foi vítima de latrocínio na mesma rua em que a ginecologista Nadir Oyakawa foi morta em dezembro passado

JB Neto e Ricardo Valota, da Central de Notícias,

06 Janeiro 2010 | 03h04

A Rua Doutor João Vieira Neves, no Jardim Esmeralda, região do Rio Pequeno, zona oeste de São Paulo, foi palco de mais um assalto seguido de morte - latrocínio, na noite desta terça-feira, 5. Em dezembro de 2008, nesta mesma rua, uma médica foi assassinada por criminosos armados.

 

Eram 19h30 quando Elaine Cristina da Silva, de 28 anos, chegava da academia e preparava-se para abrir o portão de casa. Ao ser abordada por dois jovens, aparentemente menores, Elaine se assustou e gritou. O irmão dela, o gráfico Anderson Fernando da Silva, de 23 anos, usava o computador e, ao ouvir o grito da irmã, foi até o portão.

 

A dupla, que fugiu levando a bolsa de Elaine, atirou duas vezes, atingido um dos seios da jovem e o peito do rapaz. O casal de irmãos foi encaminhado ao pronto-socorro do Hospital Universitário, onde Anderson já chegou morto e Elaine segue internada. Até a 1h45 desta quarta-feira, 6, nenhum dos assaltantes havia sido localizado. Testemunhas disseram que a dupla fugiu para o interior da Favela do Sapé, localizada a 300 metros do local do crime.

 

O caso foi registrado na delegacia do Butantã (51ºDP). "Ele (Anderson) ia começar a faculdade. Já havia conseguido trabalho e até comprou um carro. Não acredito que isso aconteceu com meu sobrinho", lamentou o técnico em informática Antonio Gomes da Silva, de 53 anos, tio da vítima.

 

Médica

 

No final da noite de 12 de dezembro de 2008, na mesma rua, a médica ginecologista, Nadir Oyakawa, de 53 anos, foi baleada e morta por assaltantes. Ela era uma das principais autoridades no Brasil no tratamento do HPV e chefiava o setor de laser do Hospital Pérola Byington. Nadir morreu ao tentar escapar de três assaltantes que a abordaram na porta da casa do irmão dela.

 

Ocupando um Zafira prata, a médica tinha acabado de deixar em frente ao portão um casal de sobrinhos. Neste momento, os criminosos apareceram e anunciaram o assalto. Temendo pela integridade física dos sobrinhos, ela buzinou e pediu para que eles entrassem rapidamente. Um dos criminosos, assustados com a reação da vítima, atirou, atingindo Nadir na região dos rins.

Mais conteúdo sobre:
latrocínio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.