1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Quatro meses após tentativa de roubo, empresário é morto na Freguesia do Ó

Bárbara Ferreira Santos - O Estado de S.Paulo

02 Maio 2013 | 02h 05

Vítima tentou fazer BO na ocasião e delegado recusou registro, diz família; anteontem, dois bandidos mataram rapaz ao roubar moto

Um empresário foi morto durante um assalto na noite de terça-feira, 30, na frente da academia da qual era proprietário, na Freguesia do Ó, zona norte de São Paulo. O latrocínio aconteceu às 21h30, na altura do número 1.176 da Estrada do Sabão, quando Fernando Guerreiro Abdalla, de 29 anos, deixava a Academia Alto Astral. Dois homens abordaram o empresário e, antes de fugir com sua moto, dispararam contra seu tórax. Há quatro meses, o empresário havia sido vítima de tentativa de assalto no mesmo local.

De acordo com parentes de Abdalla, ele tentou fazer um boletim de ocorrência na ocasião. O delegado do 45.º Distrito Policial, da Vila Brasilândia, porém, teria se negado a registrar o caso porque o assalto não havia sido consumado e por não ter havido violência.

"Ele se revoltou e perguntou se ia ter de esperar algo pior acontecer. O delegado ameaçou prendê-lo por desacato", disse Cristiane Romão da Cruz Abdalla, de 31 anos, mulher da vítima. Ela, no entanto, não recorda a data da tentativa de roubo e disse que não foi informada pelo marido sobre o nome do delegado que o atendeu.

"Só queria entender qual é o papel da polícia. Se não é trabalhar a prevenção, é ficar aguardando a ocorrência acontecer?", questionou Cristiane. "Agora não precisamos mais do boletim porque a vida dele já foi perdida."

A Secretaria da Segurança Pública informou, por meio de nota, que todas as ocorrências devem ser registradas, mesmo os crimes tentados. "A Polícia Civil orienta que, se o boletim de ocorrência não for registrado, a vítima deve procurar o delegado titular em outra ocasião ou a Corregedoria."

Sem reação. Segundo uma testemunha, os criminosos, que estavam de capacete, pediram a moto Yamaha XTZ 250 azul do empresário. Eles o balearam mesmo sem que Abdalla reagisse ao assalto.

A vítima chegou a ser encaminhada ao Hospital da Vila Penteado, onde passou por uma cirurgia durante a noite. Ele não resistiu e morreu.

É a segunda vez que a família vive o mesmo drama. Em dezembro de 2007, o irmão mais velho de Fernando, Sérgio Guerreiro Abdalla Júnior, foi vítima de um assalto seguido de morte, no Ipiranga, zona sul.

"A família está revivendo o que aconteceu há seis anos, porque os dois foram conscientes para o hospital, mas morreram depois das cirurgias", afirmou uma sobrinha do casal, que não quis se identificar. "Para essa mãe, perder os dois filhos dessa mesma maneira é um choque."

  • Tags: