PT exclui Controladoria da lista de votação da Câmara

Decisão teria sido tomada por vereadores ligados ao atual e ao futuro presidente da Casa

BRUNO RIBEIRO, O Estado de S. Paulo

19 Dezembro 2014 | 23h02

Uma das principais vitrines políticas da gestão Fernando Haddad (PT), a Controladoria-Geral do Município sofreu uma derrota na madrugada desta sexta-feira, 19. O projeto que criaria uma carreira para auditores do Município foi excluído do pacote de votações da Câmara Municipal.

Embora Haddad cite o órgão como uma espécie de carimbo de idoneidade de sua gestão, a Controladoria ainda não tem corpo técnico. Só quatro servidores atuam na área de inteligência.

Nos bastidores, a derrota é atribuída ao próprio PT. Vereadores ligados ao atual presidente da Casa, José Américo, e ao futuro, Antônio Donato, decidiram excluir o texto da lista de votações. A medida teria sido uma retaliação à forma como Haddad lidou com as denúncias da Máfia do ISS. Na época secretário de Governo, Donato foi citado no esquema e, mesmo sem ter sido chamado para depor, teve de renunciar. Os vereadores não comentaram.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.