Psiquiatra é encontrado morto em piscina

Médico trabalhou na Casa de Custódia de Taubaté, onde atendeu diversos presos perigosos

Ricardo Valota, da Central de Notícias,

24 Novembro 2009 | 06h36

O psiquiatra Ricardo Nepomuceno, de 56 anos, foi encontrado morto, na manhã de segunda-feira, 23, na piscina de sua casa, no Jardim das Nações, em Taubaté (SP), no Vale do Paraíba. A vítima, segundo a polícia, prestava serviços desde 1984 para a Casa de Custódia da cidade.

 

O corpo do médico foi encontrado pelo irmão que morava com ele, mas passou o final de semana viajando. A perícia e os bombeiros estiveram no local. O psiquiatra estaria morto a aproximadamente 48 horas. Ricardo teria sido visto pela última vez na sexta-feira, 20, na casa onde mora por uma irmão e um funcionário dele; e aparentemente estava bem. Três funcionários e o irmão do médico serão ouvidos para tentar esclarecer o caso. O exame que vai atestar o que provocou a morte do psiquiatra deve sair em duas semanas.

 

Nepomuceno trabalhava na Casa de Custódia, onde atendeu diversos presos perigosos, entre eles Ademir Oliveira do Rosário que, depois de ser transferido para a capital paulista, ganhou a liberdade e ficou conhecido como o "Maníaco da Cantareira. No final de 2007, Rosário teria assassinado dois irmãos e molestou diversos jovens. Na ocasião, o psiquiatra e o sócio dele foram acusados de assinar um laudo que previa a progressão da pena de Ademir.

 

Os dois chegaram a ser investigados pelo Conselho Regional de Medicina (CRM), que não encontrou irregularidades no caso. Um ano mais tarde, Ricardo ficou conhecido ao assinar um atestado médico, cujo laudo de depressão e estresse, não convenceu a justiça, para liberar, de um depoimento em Brasília, Silvio Pereira, ex-secretário geral do PT, suspeito de envolvimento no escândalo do mensalão.

Mais conteúdo sobre:
psiquiatra Taubaté

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.