Professora diz que prática serve para avaliar mundo atual

A professora de escultura Ana Maria Tavares, da USP, diz que não tinha conhecimento do mercado de bustos feitos para homenagear pessoas vivas. "Estou meio por fora desse ramo. Como brincadeira artística até vale. Mas falar disso seriamente...Bom, eu acho que a arte está sempre refletindo a sociedade e, por esse aspecto, serve para avaliar o mundo em que a gente está vivendo", diz.

, O Estado de S.Paulo

17 Abril 2010 | 00h00

Segundo a professora, até existem casos de artistas plásticos que esculpiram bustos de si mesmos, como o inglês Damien Hirst, que fez o dele em diamante. "Mas aí é algo que está contextualizado, tem sentido dentro da obra dele, da história de vida dele", explica.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.