Problema climático chega a triplicar os atrasos

Chuva forte, trovoadas, neblina e nevoeiro chegam a triplicar a porcentagem de atrasos de voos nos aeroportos do País. Dados do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea), órgão ligado à Aeronáutica, mostram que os terminais de Guarulhos, Brasília, Galeão e Curitiba são os que mais sofrem com mau tempo.

O Estado de S.Paulo

30 Março 2013 | 02h01

Segundo o Decea, em um dia normal, o Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, tem uma média de 5,3% de atrasos. Em dias de impacto meteorológico - principalmente nevoeiro -, o índice sobe para 16,7%. Em outras cidades, como Brasília e Curitiba, a média quadruplica. A Gol considera que os aeroportos do Sul (Porto Alegre, Caxias do Sul, Joinville, Navegantes, Curitiba, Londrina, Maringá) são os mais afetados por clima. /NATALY COSTA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.