Rafael Arbex/Estadão
Rafael Arbex/Estadão

Primeira a desfilar no carnaval de SP, Independente leva filmes de terror para a avenida

Um dos carros alegóricos da escola teve problemas técnicos durante o desfile e deve perder pontos

Bruno Ribeiro e Fabio Leite, O Estado de S.Paulo

10 Fevereiro 2018 | 01h14

SÃO PAULO - Estreante no Grupo Especial do carnaval paulistano, a Independente levou cenas de filme de terror para o Sambódromo do Anhembi, mas acabou se tornando vítima do próprio enredo assombroso logo na abertura do desfile, o primeiro desta sexta-feira, 9.

+ Carnaval 2018: confira o horário de desfile de cada escola em SP

O carro alegórico que acompanhava a comissão de frente da escola quebrou e teve de ser rebocado. O incidente, que travou a evolução do desfile na avenida por quase cinco minutos, deve tirar 1,2 pontos da agremiação, forte candidata ao rebaixamento.

Após o desfile, que durou 1 hora e 3 minutos, a direção da escola já falava em "lutar" para permanecer no Grupo Especial. "Quebrou o eixo do carrinho da comissão de frente. Teve esse grande imprevisto. Mas a gente sabe que carnaval são nove quesitos e tenho certeza que vamos forte disputar os outros oito quesitos", disse o Mestre Adamastor, diretor de carnaval da escola. 

Com o samba enredo "Em cartaz: Luz, Câmera e Terror... Uma produção independente", a escola abusou das personagens de terror do cinema.

+ Confira os horários e locais dos blocos de SP

No carro abre-alas, a cabeça do Zé do Caixão em seus dedos com unhas cumpridas foi destaque ao lado de como Jason, o Homem da Serra Elétrica, o Palhaço Assassino e os vilões dos filmes Pânico e Jogos Mortais  

Sem muito luxo nas alegorias, a Independente se destacou pela animação de seus integrantes, que cantaram empolgados o samba-enredo, e pelas coreografias nas alas, como na dos zumbis, onde crianças eram arremessadas para o alto em acrobacias.

No final do desfile, apesar dos problemas enfrentados na avenida, integrantes da escola, fundada em 1987 pela torcida organizada do São Paulo Futebol Clube, cantavam o samba como se estivessem nas arquibancadas.

+ Doria estima renda de R$ 600 mi com carnaval e coloca drones para contar público nos blocos

Bandeiras da torcida também se espanhalharam pela arquibancada, que no começo da noite de sexta-feira ainda tinha espaços vazios. Ao todo, mais seis escolas desfilam duante a madrugada: Unidos do Peruche, Acadêmicos do Tucuruvi, Mancha Verde, Acadêmicos do Tatuapé, Rosas de Ouro e Tom Maior.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.