1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Presos três do PCC encarregados de atentados no interior de SP

Chico Siqueira - O Estado de S. Paulo

29 Novembro 2012 | 19h 39

Operação da Polícia Civil cumpriu ainda 12 mandatos de prisão e de busca e apreensão; investigação teve início após morte de empresário na cidade de Birigui

ARAÇATUBA- A Polícia Civil prendeu, nessa quarta-feira, 28, três integrantes do Primeiro Comando da Capital (PCC) que receberam a missão de atacar policiais e cometer atentados contra agentes de segurança do Estado. Segundo o delegado Seccional de Araçatuba, Nelson Barbosa Filho, a Polícia Civil tinha informações de que o crime organizado cometeria atentados na região e por isso decidiu se antecipar, efetuando as detenções em Araçatuba e Birigui.

A prisão foi sigilosa e contou com dezenas de investigadores e homens do Grupo de Operações Especiais (GOE). De acordo com fontes da polícia, a operação foi deflagrada depois que o Setor de Inteligência da Polícia Civil obteve a informação de que os acusados teriam recebido, do comando da facção, a incumbência de atacar PMs e bases da polícia na região ainda nesta semana.

A investigação também teve relação com a morte do empresário Marcos Antônio Loquete, de 51 anos, dono de uma fábrica de calçados em Birigui, durante um assalto em sua casa, no centro da cidade, no início de novembro. Na ocasião, foram presas cinco pessoas. Com elas, a polícia encontrou farto material do PCC, incluindo a contabilidade financeira de bocas de fumo, nomes e endereços de integrantes e cópia do estatuto da facção.

Na operação, foram cumpridos 12 mandados de prisão e de busca e apreensão. O principal detido foi Wesley Alexandre Rodrigues, de 25 anos, o "Wolverine", que estava foragido do Centro de Progressão Penitenciária (CPP) de São José do Rio Preto. "Wolverine", que está condenado a 20 anos de prisão por roubo e homicídio, cumpria pena desde os 18 anos, mas se tornou foragido ao não retornar da saída temporária do Dia dos Pais, em agosto deste ano. Ele também é acusado de participar do assassinato do empresário de Birigui.

Ao ser detido, na periferia de Araçatuba, Rodrigues apresentou documento falso de outra pessoa na tentativa de enganar os policiais. A polícia também prendeu em Araçatuba Cleiton Dias Fonseca, de 19 anos, acusado de traficar drogas para o PCC. Com ele, foram apreendidas 15 porções de cocaína. Um terceiro acusado foi preso em Birigui. Os investigadores também apreenderam documentos da contabilidade do tráfico de drogas do PCC numa dos pontos de tráfico.