Presa acusada de integrar grupo que furta joalherias

Equipe do Deic apura outras dez ações envolvendo mulher, que foi autuada por uso de documento falso e passagens por furto desde 1984

Julia Baptista, do estadão.com.br

08 Abril 2010 | 20h10

Foi presa, na manhã desta quinta-feira, 8, a vendedora Márcia Benedita da Silva Thimóteo, de 49 anos, apontada como uma das principais integrantes de um grupo que furta joalherias. A acusada é especializada em levar as bandejas com as peças de ouro, aproveitando a distração dos funcionários

 

A prisão foi feita por policiais civis da Delegacia de Repressão a Roubo de Joias do Deic (Departamento de Investigações sobre Crime Organizado) em uma casa da Vila Pauliceia, em São Bernardo do Campo, no ABC paulista.

 

Na residência foram apreendidas 37 peças, entre anéis, pulseiras, brincos, pingentes, corrente e colar. Márcia foi autuada por uso de documento falso e falsidade ideológica, além de apresentar passagens por furto desde 1984. A equipe apura outras dez ações envolvendo a vendedora.

 

A equipe investigava o grupo há 90 dias, inclusive já tendo prendido os principais líderes. No dia 17 de março deste ano, a vendedora furtou uma loja na rua Paranapiacaba, região central de São Paulo. Segundo o Deic, em oito segundos, a acusada conseguiu abrir a gaveta, retirar a bandeja contendo anéis e sair do local. As vítimas da loja reconheceram 10 anéis recuperados como pertencentes ao acervo furtado. A ação contabilizou um prejuízo de R$ 60 mil.

Mais conteúdo sobre:
furto prisão joias ABC São Bernardo do Campo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.