Gabriela Biló
Gabriela Biló

Prefeitura reinaugura campo de futebol no Ibirapuera

Evento teve participação de atletas famosos, como o ex-jogador Ronaldo 'Fenômeno'

O Estado de S.Paulo

20 Agosto 2017 | 14h33

SÃO PAULO - O prefeito João Doria (PSDB) reinaugurou, na manhã deste domingo, 20, o campo de futebol do Parque Ibirapuera. O espaço passou por obra de revitalização ao custo de R$ 750,4 mil e foi feito e custeado pela Nike. A empresa, que  também ficará responsável pela manutenção do campo nos próximos dois anos, terá como contrapartida a possibilidade de expor sua marca no local, além de realizar ações esportivas por lá. 

"E assim, gradualmente vamos recuperando os parques da cidade, com apoio do setor privado. E espero que, em outras iniciativas, quem sabe a Nike possa estar conosco  também", destacou o prefeito. A Nike também pintou faixas nas rotas de 1,5km e 3km, atendendo ao padrão internacional de marcação do percurso, segundo a Prefeitura. A rota de 6km, que contorna o parque, ganhou placas de sinalização mais visíveis e com maior frequência. O evento de reinauguração contou com a participação de esportistas famosos, como o ex-jogador de futebol Ronaldo. 

Leia também: Doria quer conceder parques até o fim do ano

De mato a falta de vigias e funcionários, 80 de 106 parques de SP têm problemas

Na segunda-feira haverá também inauguração da fonte do parque, reformada ao custo de R$ 6,3 milhões, pagos pela Cartões Elo. O acordo inclui a manutenção da fonte, que estava desativada por três anos. Na ocasião haverá programação de show das águas e também a participação do maestro João Carlos Martins, da Camerata Bachiana e do tenor Jeam William. Durante dez dias, apresentações serão realizadas às 20h30 e às 21h. 

As parcerias com empresas não são novidade no parque. Em março, as empresas Sherwin Williams e Cyrela bancaram reforma de parte dos banheiros do locao, ao custo de R$ 450 mil. 

Reportagem do Estado publicada em março mostrou que 80 de 106 parques da capital têm problemas, que vão de mato alto à falta de vigias. Para melhorar a situação, a Prefeitura aposta em conceder todos eles nos próximos anos para a iniciativa privada. 

Enquanto o projeto ainda não é aprovado na Câmara, a gestão Doria tem apostado em iniciativas pontuais, como esta, de doações de empresas. Medida semelhante foi feita, por exemplo, no Parque Alfredo Volpi, onde a Rede D'Or São Luiz ficou responsável por cuidar de manejo, manutenção e segurança do espaço, com gasto aproximado de até R$ 1,8 milhão.  Até os funcionários que atuarão no parque serão de responsabilidade da empresa. 

 

Mais conteúdo sobre:
Parque Ibirapuera João Doria

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.