Prefeitura quer usar lucro de empresas para construir creche

Iniciativa privada poderá doar 1% para a construção de novas unidades

Rafael Italiani, O Estado de S. Paulo

23 Abril 2014 | 18h33

SÃO PAULO - Para diminuir a fila das vagas em creche em São Paulo, que tem atualmente 90.429 crianças a espera de uma vaga, a Prefeitura vai criar um mecanismo para que as empresas possam doar 1% do lucro para a construção de novas unidades de ensino. De acordo com o prefeito Fernando Haddad (PT), "é um convite para os empresários" doarem dinheiro. "Esse recurso ele (o empreendedor) vai abater do imposto devido para a Receita Federal", afirmou Haddad.

O dinheiro, segundo o prefeito, ficará depositado no Fumcad (Fundo Municipal da Criança e do Adolescente) da Prefeitura. Haddad afirmou que a medida já foi aprovada pelo Conselho Municipal da Criança e do Adolescente da Prefeitura de São Paulo. Hoje, as empresas já podem doar dinheiro para o Fumcad. No entanto, segundo o secretário municipal da Educação, César Callegari, a medida  fará com que o dinheiro seja usado exclusivamente na construção de creches.

"O edital está sendo preparado especificamente para esta finalidade. Isso já foi aprovado há uma semana e, com base no edital que vamos apresentar, poderemos chamar as empresas", afirmou Callegari. A previsão é de que o edital seja lançado antes da Copa do Mundo.

Também para diminuir a demanda por vagas, a Prefeitura pretende firmar um acordo com instituições de ensino superior que tenham interesse em desenvolver as chamadas creches de aplicação. Callegari afirmou que a secretaria já identificou 120 cursos que podem desenvolver creches. O formato da parceria seria semelhante com as que já existem hoje.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.