Divulgação
Divulgação

Prefeitura lacra bar Astronete em SP

Casa na região do baixo Augusta teve pedido de alvará indeferido; sócios tentam reabertura

Eduardo Roberto e Gabriel Pinheiro, Estadão.com.br

03 Março 2011 | 19h33

SÃO PAULO - A Subprefeitura da Sé lacrou na tarde desta quinta-feira, 3, o bar Astronete, localizado na região do baixo Augusta, no centro de São Paulo, por falta de alvará. Segundo um dos sócios da casa, Alessandro Padovano, no fim de 2010 o Astronete teve o pedido de licença de funcionamento indeferido pela Subprefeitura, que alegou que a planta do imóvel estava em situação irregular. De acordo com a Subprefeitura, o bar poderá voltar a funcionar assim que regularizar a situação.

 

Os sócios da casa afirmaram que já entraram em contato com os seus advogados, e irão tentar reabri-la o mais rápido possível. Padovano relata dificuldades para a obtenção da licença. "Desde que alugamos o local, há cerca de 4 anos, tocamos o processo para conseguir o alvará, já negado inúmeras vezes", afirmou. "É uma cena que está acabando. Antes existiam muitos bares com o perfil parecido com o nosso, e isso está mudando. A bruxa está solta."

 

Inaugurado em 2007, o Astronete enfrenta hoje maus momentos, apesar do público fiel garantir o movimento da casa na Rua Matias Aires praticamente todas as noites. "Nos últimos dias, também tivemos problemas com barulho. Em 19 de fevereiro, recebemos uma multa de R$ 30 mil do Programa de Silêncio Urbano (Psiu), da qual também estamos recorrendo", acrescentou Padovano. Segundo o sócio, também há problemas com uma vizinha.

 

A lacração do bar ganhou grande repercussão no Twitter e acabou entrando na lista dos temas mais comentados da rede social. Para protestar contra a ação da Prefeitura, os internautas lançaram a campanha #freeastronete, com adesão de famosos como a cantora Pitty. "Como assim, o @astronete lacrado? #FREEASTRONETE", escreveu a baiana em seu perfil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.