Prefeitura inaugura centros de educação focados em Direitos Humanos

Locais funcionarão como polos permanentes de trabalho em cidadania e educação sobre o tema na rede municipal de ensino

Rafael Italiani, O Estado de S. Paulo

09 Abril 2014 | 07h50

SÃO PAULO - A Prefeitura de São Paulo anunciou nesta quarta-feira, 9, que quatro Centros Educacionais Unificados (CEUs) terão Centros de Educação em Direitos Humanos. Os polos estarão em quatro macrorregiões de São Paulo: leste (CEU São Rafael), norte (CEU Jardim Paulistano), oeste (CEU Pêra-marmelo) e sul (CEU Casablanca). As atividades dos centros serão integradas às unidades escolares participantes e da comunidade do entorno visando tratar o tema de direitos humanos nas áreas de cultura, esportes, educação, sexualidade, etnia e gestão.

O lançamento do programa, na sede da Prefeitura, no Viaduto do Chá, teve a presença dos secretários municipais de Direitos Humanos, Rogério Sotilli, de Educação, César Callegari, e da ministra de Direitos Humanos, Ideli Salvatti. O governo federal irá investir R$ 400 mil.

O dinheiro será usado para ampliar os acervos das bibliotecas dos CEUs com livros e DVDs voltados aos direitos humanos, capacitação de bibliotecários e educadores, formação de professores, produção de material pedagógico e desenvolvimento de calendários culturais.

Segundo o secretário César Callegari, da Educação, as unidades foram escolhidas por estarem em regiões "de vulnerabilidade social".

Educadores, alunos e comunidade montarão juntos um calendário de atividades, reuniões e oficinas e desenvolverão o material pedagógico. As bibliotecas dos quatro CEUs ainda receberão um complemento bibliográfico sobre direitos humanos.

Seminário. Nos dias 14, 15 e 16 de abril, a Coordenação de Educação em Direitos Humanos fará o 1º Seminário Municipal de Educação em Direitos Humanos, voltado a gestores, educadores, estudantes e entidades. O encontro tem como objetivos consolidar o processo de disseminação das Diretrizes Nacionais da Educação em Direitos Humanos, reunir profissionais de ensino e fortalecer o tema nas escolas da rede pública do município.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.