Gabriela Biló/Estadão
Gabriela Biló/Estadão

Prefeitura determina que ar-condicionado em ônibus seja obrigatório

Portaria foi publicada no 'Diário Oficial' desta quinta-feira, 22; SPTrans vai ter de determinar prazo para empresas cumpram regra

Felipe Resk, O Estado de S. Paulo

22 Janeiro 2015 | 15h54

SÃO PAULO - A Prefeitura de São Paulo publicou nesta quinta-feira, 22, uma portaria no Diário Oficial determinando que "todos os veículos vinculados aos serviços de transporte coletivo de passageiro" deverão "estar dotados de equipamentos de ar-condicionado".

Segundo a portaria, a medida tem como propósito "garantir aos cidadãos condições dignas de locomoção, proporcionando maior conforto e segurança". Conforme divulgou o Estado na última quarta-feira, 21, a diferença de temperatura em um ônibus com sistema de refrigeração e outro sem o equipamento pode chegar até a 12ºC.

A gestão Fernando Haddad (PT) quer que a exigência também faça parte do contrato de concessão dos ônibus. Pendente desde julho de 2013, a licitação está prevista para ser lançada neste primeiro semestre. "Primeiramente, nós estamos preparando o processo licitatório e isso (exigência do ar-condicionado) vai estar na próxima concessão", declarou o secretário municipal de Transportes Jilmar Tatto, há uma semana.

Ainda de acordo com a portaria, a São Paulo Transporte (SPTrans) deve estabelecer critérios e prazos para que as empresas instalem ar-condicionado nos veículos.

Atualmente, há somente 60 ônibus com ar-condicionado circulando pela capital paulista, de acordo com dados oficiais da SPTrans. Ou seja, apenas 4 a cada mil veículos da frota, de cerca de 14.800 ônibus, estão equipados com refrigeração.

Antes de a determinação ser publicada, a estimativa era de que ao menos mil veículos com ar-condicionado passassem a circular em todas as regiões da cidade até o final do ano. Por telefone, a SPTrans afirmou, às 16h30, que ainda não sabe informar se esse número vai mudar com a portaria.

Mais conteúdo sobre:
Prefeitura

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.