André Lessa/AE - 11/3/2010
André Lessa/AE - 11/3/2010

Prefeitura de São Paulo anuncia consórcio que fará projeto da Nova Luz

Empresa que preparou Londres para Olimpíadas de 2012 vai assumir plano para cracolândia

Eduardo Roberto e Gabriel Pinheiro, do estadão.com.br

11 Maio 2010 | 17h03

SÃO PAULO - A última etapa da escolha do consórcio que irá assumir a tarefa de revitalizar a região da cracolândia terminou nesta terça-feira, 11, com a vitória da Companhia City, que inclui as empresas Concremat, Aecom e FGV.  A informação foi confirmada pelo Secretário de Desenvolvimento Urbano de São Paulo, Miguel Bucalem, durante entrevista à TV Estadão nesta tarde.     

 

Veja também:

video Secretário explica como será o projeto

 

No País desde 1912, a companhia de origem inglesa foi responsável pelo plano diretor de Londres para as Olimpíadas de 2012 e revitalizou bairros como o Jardim América e Pacaembu. 

 

A licitação da Nova Luz ocorreu de forma diferente. Em vez escolher um projeto, o processo público optou pelo grupo considerado mais habilitado a propor as mudanças na região. O plano prevê uma concessão urbanística - que permite, inclusive, desapropriações bancadas pela iniciativa privada na área -, mas preservando o patrimônio histórico e garantindo a construção de moradias populares.

 

Segundo o secretário, o projeto final deverá contemplar 50 diretrizes que já foram estabelecidas pela Prefeitura, que promete acompanhar os trabalhos de perto, com reuniões quinzenais com as empresas.

 

Consulta pública

 

O cronograma apresentado propõe um prazo de 10 meses para a apresentação do projeto final. Durante os primeiros 4 meses, o consórcio desenvolverá o plano juntamente com a Prefeitura. Após esse período, uma versão preliminar será divulgada e será alvo de consulta pública durante dois meses.

 

"A participação da sociedade civil, das pessoas que moram e trabalham na área e de especialistas estará garantida", afirmou Bucalem.

 

Ao final da consulta, o consórcio terá outros 4 meses para finalizar o projeto. Finalmente, haverá nova licitação para escolher as empresas que executarão o plano. "A partir desse projeto haverá uma visão de transformação da área", disse o secretário.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.