1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Prefeitura aumenta restrição ao carnaval na Vila Madalena

- Atualizado: 28 Janeiro 2016 | 17h 05

Quadrilátero formado pelas Ruas Mourato Coelho, Inácio Pereira, Wisard e Fidalga vai ter lotação máxima de 15 mil pessoas

SÃO PAULO - Para evitar o excesso de pessoas no carnaval da Vila Madalena, na zona oeste de São Paulo, a Prefeitura de São Paulo prepara um plano especial para a área durante o evento e aumentou as restrições. O quadrilátero formado pelas Ruas Mourato Coelho, Inácio Pereira, Wisard e Fidalga será fechado com lotação máxima para 15 mil pessoas. Os blocos no local precisarão encerrar as atividades até as 16 horas.  Além disso, a região contará com uma base fixa de apoio com representantes de todas as secretarias. Na região, devem se apresentar 69 dos 355 blocos de carnaval deste ano.

A ação  é parte de uma estratégia da Prefeitura para espalhar a população para outras regiões da cidade e evitar conflitos no local. "Há uma preocupação de que não haja grandes aglomerações na região da Vila Madalena", disse o secretário municipal de Cultura, Nabil Bonduki. Além disso, a Vila Madalena contará com um ponto de apoio em um container localizado na Rua Mourato Coelho, onde haverá reuniões periódicas de funcionários da Prefeitura e da Secretaria da Segurança Pública (SSP) para atender ocorrências na região.

Neste ano, a Prefeitura optou por levar o bloco Sargento Pimenta à região da Estação Tiradentes, no centro

Neste ano, a Prefeitura optou por levar o bloco Sargento Pimenta à região da Estação Tiradentes, no centro

"Não dá para uma cidade de 20 milhões de habitantes, como é o caso de São Paulo, haver uma concentração em um lugar muito pequeno e insuficiente", afirmou o secretário. 

O acesso ao quadrilátero, chamado pela Prefeitura de Zona de Atenção Especial (ZAE), será feito por meio de portões vigiados pela Polícia Militar.  O acesso dos foliões será realizado  nas esquinas das ruas Mourato Coelho e Hermes Fontes, das ruas Inácio Pereira da Rocha e Fidalga e das ruas Wisard e Fradique Coutinho. Haverá vistoria para impedir a entrada de garrafas de vidro e de isopores com bebidas. Moradores da região terão de fazer um registro para ter acesso ao local, pois haverá restrição para carros.  "Tudo isso fazendo uma comunicação para essa população que mora na região, para ter menos impacto negativo e respeitando os moradores", disse a subprefeita de Pinheiros, Harmi Takiya.

De acordo com Harmi, a ação também teve apoio dos bares da região. "Alguns não vão abrir e muitos vão fechar antes do horário permitido pela lei, o que nos ajuda. Queremos que o pessoal se divirta, mas não pode ficar lá, dormir. Tem um horário que a gente vai começar a fazer a limpeza e as pessoas terão de seguir para casa porque a festa continua no dia seguinte", disse. 

Para as demais vias da Vila Madalena e de Pinheiros, a Prefeitura já havia definido, no dia 23, que os desfiles na região da Subprefeitura de Pinheiros deverão ser encerrados às 20 horas, duas horas a menos em relação ao horário do ano passado. Neste horário, o som será desligado. Em outras áreas da cidade, a dispersão deve ocorrer até as 22 horas. As regras também proíbem blocos com mais de 20 mil pessoas e veta desfiles nas Avenidas Sumaré, Paulo VI e parte da Faria Lima, além das Ruas Teodoro Sampaio, Cardeal Arcoverde e Henrique Schaumann e das Praças Benedito Calixto e Horácio Sabino. 

Na edição do ano passado, a Prefeitura precisou de apoio da Polícia Militar para conseguir liberar as vias e fazer a limpeza. Para dispersar o público, a PM usou bombas de efeito moral. Também houve atropelamentos e brigas, que terminaram com foliões esfaqueados. 

Também haverá reforços na segurança dos blocos na Vila Mariana, na região do Parque do Ibirapuera. Os portões do parque voltados à Avenida Pedro Álvares Cabral ficarão fechados. Haverá 60 pessoas para a segurança dos megablocos,  como o Bicho Maluco Beleza e Monobloco, com atenção aos monumentos no local. Além disso, a região terá 60 funcionários de limpeza durante o evento e outros 120 depois da festa.  "Os portões estarão fechados para evitar que o parque seja ocupado como área de concentração ou dispersão dos blocos", explicou Bonduki.

10 dicas para montar um look de carnaval original, confortável e econômico
Divulgação/Maria Filó
1. Escolha roupas leves

Para curtir a folia, é importante estar com roupas que não incomodem nem esquentem. Caso opte por usar uma saia, coloque um short por baixo para poder pular despreocupada. Acessórios delicados, como a tiara com enfeite de cartola e a varinha, já dão graça ao look, como no exemplo acima, da marca Maria Filó.

Distribuição. Serão implementados cinco palcos nas quatro zonas da cidade e no centro, com atrações a partir das 16 horas. "Tem muito cidadão que não está envolvido com blocos e também tem direito de aproveitar o carnaval", disse Bonduki.  Além disso, a Prefeitura anunciou que dos 355 blocos, 44% estão na periferia. 

O investimento neste ano será de R$ 10,5 milhões - sendo R$ 3,5 milhões vindo de patrocinadores e o restante, da Prefeitura. O plano de apoio contará com 8.108 banheiros químicos, quase o triplo (3 mil) do ano passado, 1.700 agentes de trânsito  (eram 900 em 2015) e 2.100 agentes de limpeza. O número de guardas civis metropolitanos também aumentou: serão 2 mil, ante 1.600 no ano passado.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em São PauloX