Policial civil é executado e arrastado por vinte metros em Santo André

Cerca de 50 pessoas que estavam na mesma rua testemunharam a ação

Bruno Lupion, do estadão.com.br

14 Abril 2010 | 06h11

Um policial civil foi executado a tiros e arrastado por vinte metros preso a um carro na noite de terça-feira, 13, por volta das 19h50, em Santo André, região metropolitana de São Paulo. Cerca de 50 pessoas que estavam na rua testemunharam a ação.

 

Douglas Yamashita, 29, investigador do 4º DP da cidade, estacionou o carro na Rua 21 de Abril e caminhava em direção ao Clube Atlético Aramaçan, onde iria jogar squash, quando dois homens encapuzados dentro de um Corsa emparelharam e abriram fogo, segundo a polícia.

 

O investigador, baleado várias vezes, caiu no meio fio e foi atropelado pelos criminosos. Seu corpo ficou preso acidentalmente no veículo e acabou arrastado por 20 metros, antes de se desprender.

 

Cerca de 50 pessoas presenciaram a ação, das quais muitas entravam no clube para uma cerimônia de colação de grau. Algumas delas gritaram para avisar os criminosos que o corpo estava preso no carro.

 

Yamashita foi levado ao pronto-socorro central de Santo André, mas não resistiu ao ferimentos. O crime foi registrado na mesma delegacia onde o investigador trabalhava e até a madrugada desta quarta-feira, 14, ninguém havia sido preso. Duas vans adaptadas para o comércio de alimentos foram atingidas por balas perdidas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.