Policiais são acusados de torturar e matar preso

Três investigadores da Polícia Civil da Bahia e o filho de um deles estão foragidos depois de a Justiça de Porto Seguro decretar suas prisões preventivas na segunda-feira. Joaquim Pinto Neto, de 42 anos, Otávio Garcia Gomes, de 43, Robertson Lino Gomes da Costa, de 44, e Murilo Bouson de Souza Costa, filho de Robertson, de 22, são acusados de tortura e homicídio, após espancarem até a morte Ricardo Santos Dias, de 21, na Delegacia de Porto Seguro, sábado à noite. Dias era acusado de tráfico de drogas e latrocínio.

O Estado de S.Paulo

18 Julho 2012 | 03h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.