1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Polícia prende suspeito de participar de assassinato de PM

- Atualizado: 17 Fevereiro 2016 | 15h 41

Policial estava jantando com a família em uma pizzaria quando a quadrilha entrou, anunciou o assalto e roubou vários clientes

Rodrigo Araújo Santos, de 20 anos, suspeito de participar do assassinato do policial militar André Alves Ribeiro

Rodrigo Araújo Santos, de 20 anos, suspeito de participar do assassinato do policial militar André Alves Ribeiro

SÃO PAULO - A Polícia Civil prendeu na manhã desta quarta-feira, 17, em Campinas, Rodrigo Araújo Santos, de 20 anos, suspeito de participar do assassinato do policial militar André Alves Ribeiro, em uma pizzaria do bairro Cachoeirinha, na zona norte, no dia 2 de janeiro. Ele foi o sexto e último integrante preso do grupo que cometeu o latrocínio (roubo seguido de morte).

O PM estava jantando com a família quando a quadrilha entrou, anunciou o assalto e roubou vários clientes. Ele foi morto depois que os bandidos descobriram que ele era policial.

Segundo os investigadores do Apoio Operacional da Seccional Norte (AOP), quatro homens e dois adolescentes participaram do crime. Todos foram reconhecidos por testemunhas. Os adultos estão presos por ordem da Justiça. Os menores estão internados na Fundação Casa.

A polícia apurou que três bandidos entraram armados na pizzaria e anunciaram o assalto. Depois de ser descoberto, o PM Ribeiro foi executado na frente da família com cerca de 8 tiros disparados por um menor e por Santos. Dois bandidos aguardavam no carro usado na fuga, enquanto o sexto integrante não participou da ação, mas deu uma das armas usadas no crime.

O delegado Luis Storni, responsável pela 4ª Seccional Norte, disse que a quadrilha foi reconhecida em outros 10 roubos a estabelecimentos comerciais na região onde ocorreu o assassinato. "Acreditamos que o número de vítimas vai aumentar, porque eles praticavam vários assaltos por semana", disse.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em São PauloX