Polícia prende suspeito de incêndio em garagem de ônibus em Osasco

Edilson Almeida Silva, de 19 anos, foi encontrado em sua casa, a 1 km do pátio; suspeito é irmão gêmeo de Edenilson, que foi executado com 24 tiros na noite desta segunda

Laura Maia de Castro, O Estado de S. Paulo

22 Abril 2014 | 15h49

OSASCO - Um dos suspeitos de incendiar 34 ônibus na madrugada desta terça-feira, 22, no pátio de estacionamento da empresa Urubupungá, em Osasco, na Região Metropolitana de São Paulo, foi preso nesta tarde, segundo informações da Polícia Civil. Edilson Almeida Silva, de 19 anos, foi encontrado em sua casa, a um quilômetro do pátio. O suspeito é irmão gêmeo de Edenilson, que foi executado com 24 tiros na noite desta segunda, 21, no bairro Parque Oeste, por dois homens que desceram de um carro preto, modelo Astra.

Pela manhã, o chefe da delegacia seccional de Osasco, Paulo Tucci, já havia levantado a possibilidade de ligação entre a morte de Edenilson e o incêndio no pátio de ônibus. Segundo Tucci, o rapaz morto tinha passagem pela polícia por tráfico de drogas.

Incêndio. Entre cinco e oito homens armados renderam um vigilante e três manobristas e invadiram o pátio de estacionamento da empresa que fica no bairro de Jardim Mutinga, no norte do município, na madrugada desta terça-feira. O grupo usou gasolina para atear fogo nos veículos que estavam no pátio e as chamas se alastraram rapidamente. Ao todo, 23 carros tiveram perda total e 11 foram destruídos parcialmente. Segundo a empresa, os próprios funcionários foram obrigados pelos criminosos a jogar gasolina nos ônibus, mas ninguém ficou ferido.

"Nós calculamos que 20 mil passageiros tenham sido prejudicados, além de um prejuízo de cerca de R$ 10 milhões. E não é a primeira vez que isso acontece, desde 2013, mais dez ônibus foram incendiados aqui", disse o diretor da Urubupungá, Luiz Augusto Saraiva. A empresa conta com 670 veículos e atende a 20 linhas municipais.

Na manhã desta terça-feira, o cheiro de pneu queimado ainda era forte no pátio onde as carcaças dos ônibus estão. A perícia já foi ao local e imagens de câmeras de segurança serão analisadas pela Polícia Civil a fim de identificar os responsáveis. O caso foi registrado pelo 10º DP de Osasco.

Por volta de 21h50 de segunda-feira, houve uma tentativa de incêndio de outros dois veículos da mesma empresa no centro de Osasco, mas operadores conseguiram evitar que as chamas se espalhassem e os ônibus não foram danificados.

Transporte. Na manhã desta terça-feira, os pontos de ônibus da cidade estavam bastante cheios. Há meia hora no ponto de ônibus, Elizete Souza, de 47 anos, reclamava da demora. "Hoje a demora está demais, vou chegar atrasada, mas ainda não avisei o chefe", disse.

Segundo a Urubupungá, para tentar atender a população, ônibus que estavam no programa de manutenção preventiva e da frota reserva serão colocados em circulação. A empresa entretanto não disse quantos.

Mais conteúdo sobre:
Osasco ônibus incendiado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.