1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Polícia prende quadrilha de 'saidinha de banco' em área nobre de SP

Luciano Bottini Filho - O Estado de S. Paulo

08 Janeiro 2014 | 13h 23

Motoqueiros cercavam vítimas com dinheiro e executavam até três assaltos por dia; operação na manhã desta quarta prendeu 5 integrantes do grupo

SÃO PAULO - A Polícia Civil prendeu na manhã desta quarta-feira, 8, cinco dos seis integrantes de uma quadrilha que fazia roubos de "saidinha de banco" em bairros nobres da zona sul da cidade, como Moema, Brooklin e Campo Belo. O grupo usava um informante na fila do caixa que avisava quem estava com dinheiro e cercava as vítimas com três motos. De acordo com a investigação, os criminosos praticavam até três roubos por dia. Vinte vítimas já foram identificadas.

A investigação começou em meados de agosto quando dois funcionários de uma empresa, um deles um PM aposentado que trabalhava como segurança, foram atacados pelos bandidos depois de sacar R$ 5 mil de um banco na Avenida Ibirapuera, em Moema. Houve troca de tiros, mas ninguém saiu ferido. Os criminosos fugiram sem levar o dinheiro e deixaram para trás duas das três motos usadas na tentativa de roubo.

Mais tarde, um deles telefonou para a PM dizendo que era o proprietário do veículo e que havia sido assaltado, mas não se identificou. A policia considerou a atitude suspeita e rastreou o telefone celular do homem - os sinais do aparelho coincidiam com locais onde houve crimes de saidinha de banco.

O delegado-assistende do 27. º DP (Campo Belo), Carlos Battista, pediu a interceptação telefônica do celular rastreado. Com as escutas, a polícia conseguiu identificar os seis integrantes da quadrilha e pediu os mandados de prisão temporária. Warlas de Souza e Souza, Dyogo Henrique Alves de Souza (Caixa), André Luis dos Santos Neves (Pulga), Ricardo Dias da Silva (Noia) e Alex (conhecido como Popo) foram detidos em uma operação na manhã desta quarta-feira, 8, no Capão Redondo, zona sul. Foram empregados cerca de 90 agentes e um helicóptero da Polícia Civil na operação.

Artur Pedro Da silva Ramos Junior é o único foragido. O advogado do suspeito, Edson Zelling, disse que ainda irá analisar o caso e não se pronunciou.

"Esse grupo praticava vários roubos. Agora teremos uma redução nas estatísticas na região", afirmou Battista. Na operação, também foram presos em flagrante dois traficantes que fugiram quando os agentes chegaram próximo ao endereço da quadrilha.

  • Tags: