Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Polícia investiga série de mortes em sítio paulista

Catorze óbitos foram registrados em um mês nas propriedades da Missão Belém em Jarinu, no interior de São Paulo

Fabiana Cambricoli e Luiz Fernando Toledo, O Estado de S. Paulo

20 Julho 2017 | 22h40

SÃO PAULO - A Polícia Civil instaurou inquérito para investigar as 14 mortes registradas em um mês nos sítios da Missão Belém em Jarinu, no interior de São Paulo. Conforme revelou o Estado na quarta-feira, 19, a maioria das vítimas teve quadro de diarreia, desnutrição ou intoxicação.

As vítimas moravam nos sítios da Missão Belém, a 76 km da capital. O espaço recebe, em sua maioria, dependentes vindos da Cracolândia. A entidade, fundada pelo padre Gianpietro Carraro em 2005, atua no Brasil, na Itália e no Haiti e atende 2 mil pessoas. Só nas quatro propriedades de Jarinu, são 850.

Embora as causas dos óbitos estejam relacionadas a outros problemas de saúde, como insuficiência cardíaca e doenças respiratórias, a polícia quer apurar se o suposto surto de infecção gastrointestinal pode ter agravado o quadro de doentes crônicos. “Temos de apurar com rigor se elas não têm origem em maus-tratos ou negligência dos responsáveis da Missão Belém”, disse Elias Ribeiro Evangelista Júnior, delegado titular de Campo Limpo Paulista.

Os policiais fizeram vistorias nos sítios anteontem e solicitaram perícia. Em depoimento prestado ontem, representantes da Missão declararam ter prestado toda a assistência aos residentes que adoeceram. 

Mais conteúdo sobre:
São Paulo [SP] Jarinu

Encontrou algum erro? Entre em contato

0 Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.