Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Polícia detém mãe que abandonou criança em Higienópolis

Doméstica foi identificada por imagens de câmeras; ela trabalha na região e mora com patrões, de quem teria escondido gravidez

Felipe Resk e Paula Felix, O Estado de S. Paulo

07 Outubro 2015 | 16h54

Atualizado às 19h40

SÃO PAULO - A Polícia Civil conseguiu identificar e deter nesta quarta-feira, 7, uma empregada doméstica de 37 anos suspeita de ter abandonado a própria filha na Rua Piauí, em Higienópolis, na região central, no domingo, 4. Segundo a polícia, Sandra Maria Santos Queiroz trabalha e mora na casa de uma família, a uma quadra do local onde a criança foi abandonada.

Os policiais do 4º Distrito Policial (Consolação) conseguiram identificá-la através de imagens de câmeras de segurança. Nas imagens, ela aparece carregando uma sacola branca, onde o bebê estava escondido, e um guarda-chuva. Pouco depois, deixa a criança ao pé de uma árvore e sai andando - mas não é possível ver com clareza do rosto da suspeita.

Na terça-feira, 6, ao passar por uma câmara em uma rua das proximidades, Sandra "baixou a cabeça e tampou o rosto", afirma o delegado-assistente do 4° DP, Eduardo Luís Ferreira. "Vimos que era uma mulher muito parecida (com a das imagens do dia do abandono)", diz. Ao voltar ao mesmo local às 15h30 desta quarta-feira, os policiais avistaram-na passando e a abordaram, momento em que ela confessou ter deixado o bebê na sacola.

De acordo com as investigações, a emprega escondeu dos patrões que estava grávida. Na madrugada de domingo, ela teria ido usar o banheiro, quando entrou em trabalho de parto. A menina, ao nascer, foi amamentada e ficou cerca de 12 horas escondida na casa, antes de ser enrolada em um pano, posta dentro de uma sacola e deixada na rua.

Ela afirmou no distrito policial que, após deixar a sacola embaixo da árvore, observou os movimentos de longe. "Estava chegando a hora de a patroa chegar em casa então ela saiu, abandonou a criança, tomou certa distância e ficou observado. Ela viu quando acharam o bebê", explica Ferreira.

Em depoimento, Sandra alegou ter ficado desesperada com a possibilidade de perder o emprego. "Fiz por desespero", confirmou ela, cobrindo o rosto, na saída da delegacia, por volta das 19h30.

Sandra chegou a São Paulo de Vitória da Conquista, na Bahia, há seis anos. A empregada doméstica tem um filho de 17 anos que vive na sua cidade natal e uma filha de três anos que mora com ela na residência de Higienópolis.

De acordo com o delegado-assistente, Sandra será indiciada por abandono de incapaz e encaminhada ao Hospital Pérola Byington, centro de referência à saúde da mulher, para verificar sua saúde após o parto e suas condições mentais.

Caso. A menina recém-nascida foi encontrada por um zelador que trabalha em um prédio Rua Piauí e estava indo para missa. A criança foi levada para a Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, em Santa Cecília, também no centro, onde recebeu atendimento médico e aguarda decisão judicial para ser encaminhada a um abrigo.  

Mais conteúdo sobre:
São Paulo Higienópolis

Encontrou algum erro? Entre em contato

0 Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.