1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Polícia desmonta 'tribunal do crime' organizado pelo PCC no interior de SP

Membros da facção julgavam homem acusado de passar informações do tráfico para os policiais

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO - Nove homens foram presos e um adolescente de 13 anos foi apreendido na noite de terça-feira, 7, quando participavam da sessão de um "tribunal do crime" do Primeiro Comando da Capital (PCC). O júri interno era realizado em uma casa no bairro Jardim Maria Lúcia, em São José do Rio Preto, a 440 quilômetros da capital paulista.

O 'tribunal' julgava Anderson de Melo Assunção, de 22 anos, que estava em poder dos bandidos por 24 horas e era acusado por eles de ter estuprado uma mulher do bairro e passado informações sobre o tráfico para a polícia. De acordo com as regras do PCC, os crimes pelos quais Assunção estava sendo julgado são pagos com a vida.

Sequestrado às 22h de segunda-feira, Assunção foi levado ao "júri" às 13h de terça. Ele já havia sido torturado com queimaduras de ponta de cigarro e espancado com socos e pontapés quando os PMs invadiram a casa.

Equipes da Força Tática da PM chegaram justamente quando os membros do tribunal se reuniam para anunciar a sentença de Assunção, que estava sentado em uma cadeira ao centro da roda formada por "juízes" no quintal da residência.

Não houve resistência e todos foram detidos. Os homens e o adolescente têm passagem pela polícia por tentativa de homicídio, tráfico, roubo ou furto. Eles deverão responder por sequestro, cárcere privado e formação de quadrilha. Assunção, segundo a PM, não tem passagem por estupro, apenas por tráfico.