Polícia Civil/Divulgação
Polícia Civil/Divulgação

Polícia apreende cerca de 1,6 tonelada de maconha em Mogi

Caseiro foi preso e disse ter recebido R$ 10 mil para guardar droga; pela quantidade, suspeita é de que dono da carga seja do PCC

Felipe Resk, O Estado de S. Paulo

03 Julho 2015 | 11h03

SÃO PAULO - A Polícia Civil apreendeu cerca de 1,6 tonelada de maconha em um sítio na região de Itapeti, em Mogi das Cruzes, na Grande São Paulo. O caseiro Jonas de Jesus, de 51 anos, que morava no imóvel onde o material foi encontrado e teria sido pago para armazenar a droga, foi preso. Os investigadores agora procuram o verdadeiro proprietário da carga. Uma das suspeitas é que ele seja integrante do Primeiro Comando da Capital (PCC).

Aos policiais, Jesus afirmou ter recebido R$ 10 mil para deixar 1,588 mil quilos de maconha na casa. Há dois meses, ele tem sido monitorado nas investigações e foi surpreendido na tarde desta quinta-feira, 2, quando entrava no local. Os policiais encontraram a droga embalada dentro de um quarto, que servia como depósito.

Segundo as investigações, a carga pode ter sido encomendada de algum traficante da zona leste da capital e seria revendida na região do Alto Tietê. O caseiro não resistiu à prisão e foi levado para a Cadeia Pública de Mogi das Cruzes. De acordo com a Polícia Civil, Jesus já tinha passagem por tentativa de homicídio.

"A gente deu um prejuízo para o trafico de mais ou menos R$ 1,5 milhão", afirmou o delegado André Junji Ikari, do Setor de Investigações Gerais (SIG) de Mogi das Cruzes. Interrogado, o caseiro teria dito que estava guardando a droga para outra pessoa, mas não informou quem era.

O próximo passo das investigações é chegar até o dono da carga. Por causa da grande quantidade, os policiais acreditam que ele pode ser do PCC.

Mais conteúdo sobre:
Maconha Polícia Civil PCC Mogi das Cruzes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.