Werther Santana/AE
Werther Santana/AE

Polícia apreende armas de fabricação caseira em Guarulhos

Policiais chegaram ao local graças a denúncia de ex-namorada do armeiro; ele está foragido

Daniela do Canto, estadão.com.br

01 Abril 2009 | 05h59

Uma auxiliar administrativa de 30 anos ameaçada de morte pelo ex-namorado em Guarulhos, na Grande São Paulo, resolveu denunciá-lo e levou a polícia a encontrar quatro armas de fabricação caseira, acessórios e munições na residência do acusado, identificado como Jorge Antônio Castro da Silva, 28 anos, no início da madrugada desta quarta-feira, 1. Segundo informações da Polícia Militar, ele estava foragido da Penitenciária José Parada Neto, em Guarulhos, desde 4 de fevereiro de 2003.

 

A ex-namorada de Silva, que preferiu não se identificar, contou que o conheceu há cerca de um ano, quando começaram a namorar. "Durante sete meses o namoro deu certo, ele era bem educado. Mas de quatro meses pra cá ele mudou o comportamento, ficou agressivo e eu resolvi terminar. Foi quando minha vida virou um inferno", relatou.

 

A auxiliar administrativa garantiu que era perseguida diariamente pelo ex-namorado e foi ameaçada de morte diversas vezes. "Até relações sexuais ele me obrigava a ter", revelou. Na madrugada desta quarta-feira, o ex-casal teve uma nova discussão na casa dela, no bairro Gopouva. "Ele me ameaçou com a arma (uma submetralhadora de fabricação caseira), fugiu e deixou a arma na minha casa. Eu percebi que era caseira, por isso achei melhor chamar a polícia para fazer uma revista na casa dele", disse.

 

Na residência de Silva, localizada também no bairro Gopouva, os PMs encontraram no único cômodo do imóvel outras três armas ainda inacabadas, três carregadores e uma mola de submetralhadora, dois canos de ferro e nove munições, de diversos calibres.

 

A ex-namorada do armeiro disse que ele estava desempregado e fazia bicos como mecânico. Ela afirmou desconhecer que Silva era procurado. Até às 5h45, ele não havia sido capturado pela polícia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.