PM segue plano feito por moradores do Butantã

Preocupados com o aumento da violência no Butantã, zona oeste, um grupo de moradores do Jardim das Vertentes mapeou as ruas mais perigosas do bairro e desenvolveu um plano de segurança para a PM. Eles entregaram o documento na subprefeitura e pediram mais iluminação pública, entre outras melhorias.

GIO MENDES, O Estado de S.Paulo

17 Dezembro 2011 | 03h05

A PM aumentou o patrulhamento nos endereços indicados pelos moradores no último dia 3, dois dias depois de a capitão Rachel Candido, comandante da 2.ª Companhia, receber o projeto de segurança. Um abaixo-assinado com 2.956 assinaturas faz parte do documento.

O movimento Butantã Urgente foi criado no dia 5 de novembro, após moradores de seis condomínios da Rua Trajano Reis trocarem informações sobre os casos de assaltos no bairro. Eles perceberam crescimento no número de roubos após a PM adotar a Operação Colina Verde para combater a violência no Morumbi, bairro da zona sul vizinho do Butantã. "Os casos no nosso bairro aumentaram logo após a operação no Morumbi", disse o consultor de marketing André Wiliam Lima, de 39 anos.

A Operação Colina Verde começou em 24 de agosto. No mês seguinte, índices de criminalidade registraram queda na região do Morumbi. O medo da violência também colaborou para o ressurgimento do Conselho Comunitário de Segurança (Conseg) do Butantã, após 2 anos desativado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.