Pichador pede perdão ao Rio e ao ''mundo''

Um dos pichadores da estátua do Cristo Redentor, o pintor de paredes Paulo Souza dos Santos, de 28 anos, foi indiciado ontem por crime ambiental e injúria por preconceito, mas vai responder ao inquérito em liberdade. Santos se apresentou na manhã de ontem à Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA), na zona norte do Rio, onde prestou depoimento por cerca de três horas. O pintor reafirmou que quis fazer apenas um protesto para lembrar pessoas desaparecidas e pediu desculpas para toda a população.

Bruno Boghossian / RIO, O Estado de S.Paulo

23 Abril 2010 | 00h00

"Não imaginei que o caso ganharia essa repercussão. A minha ideia era só fazer um protesto. Sou católico e não tenho preconceito com outras religiões", afirmou Santos. "Peço perdão a toda a população do Rio de Janeiro, do Brasil e do mundo." Apesar da declaração do pichador, a polícia pretende manter no inquérito o crime de injúria.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.