1. Usuário
Assine o Estadão
assine


PF prende funcionários do Centro de Reeducação ao Menor e da AGU por porte de droga

Chico Siqueira - Especial para O Estado - Atualizado às 13h53 do dia 20

19 Fevereiro 2014 | 23h 39

Homens foram revistados enquanto passavam por rodovia no interior de São Paulo

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO - Agentes da Polícia Federal apreenderam nesta quarta-feira, 19, 210 frascos de lança-perfume, meio quilo de cocaína, 50 munições para pistola 365 e 18 frascos de anabolizantes em poder de um vigilante da Advocacia-Geral da União (AGU) e de um educador do Centro de Reeducação ao Menor Infrator de Formosa (MG).

A apreensão ocorreu no quilômetro 91 da rodovia Transbrasiliana (BR-153), município de Jaci, interior paulista. Em uma fiscalização de rotina, os agentes abordaram um carro com placa de Curitiba, ocupado por três pessoas. Ao revistar o veículo, os agentes localizaram o lança-perfume, a cocaína, a munições e os anabolizantes, escondidos em duas caixas de som.

Ao verificar a identidades dos ocupantes do veículo, os agentes constataram que dois deles trabalham no serviço público, em órgãos de defesa judicial da União e de proteção a menores infratores. A PF divulgou apenas as iniciais: C.R.S.O., de 31, vigilante na sede da Advocacia Geral da União, em Brasília; W.G.N.S, de 29 anos, educador do Centro de Reeducação ao Menor Infrator de Formosa. A PF havia divulgado anteriormente que o educador seria da Fundação Casa, equivalente paulista do Centro de Reeducação, mas corrigiu a informação nesta quinta-feira, 20.

Segundo os agentes, os dois só foram presos, por tráfico e contrabando, porque ficaram muitos nervosos. A abordagem seria apenas para pedir documentos do carro e dos ocupantes, mas o nervosismo do chamou a atenção e levou os agentes a fazer a revista no interior do veículo, encontrando os entorpecentes, as munições e os anabolizantes escondidos dentro de uma caixa de som.

Além dos dois homens, uma estudante de 24 anos, namorada do vigilante da AGU, ocupava o veículo e também foi detida. Todos foram levados para a Delegacia da PF de São José do Rio Preto.