Pela 1ª vez, feira vai ter animais 'excluídos'

Evento no sábado oferecerá para adoção 350 cães e 50 gatos deficientes, cegos e de cores 'fora de moda'

Marici Capitelli, O Estado de S.Paulo

22 Abril 2010 | 00h00

O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de São Paulo vai promover pela primeira vez uma feira de adoção de animais com características que a maioria das pessoas não quer: pelagem preta, deficiência física e idade avançada. "São animais com baixo perfil de adoção", diz Tamara Cortes, veterinária do CCZ. Por isso, o evento já é chamado de Adoção sem Preconceito.

Dos 350 cães e 50 gatos, cerca de cem cachorros e 44 felinos são pretos. No caso dos felinos, existe a crendice popular de que eles trazem azar. Em relação aos cães, os futuros donos preferem as cores que estão na moda. "As cores preferidas são os dourados", diz Tamara.

Há um outro grupo de 18 cães que ninguém quer: os idosos. "Eles são ótimos para adoção porque são dóceis, companheiros, requerem menos atividade física e são excelentes companheiros", diz a veterinária.

Estarão à disposição bichos deficientes e cegos. "Eles podem levar uma vida absolutamente normal, trazer alegria e companheirismo", afirma Tamara. Protetores de animais enfrentam as mesmas dificuldades que o CCZ. "O que acontece com eles é retrato da sociedade", diz Raquel Aparecida de Jesus.

Quem adotou garante que a experiência é gratificante. A gerente Maria Madrid, de 30 anos, tem em casa Grigio, um gato paraplégico de 4 anos, e Cristina, uma gata preta de 3 anos. "Eles são uma bênção na minha vida. Aprendi a olhar o mundo de forma diferente", diz.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.