HÉLVIO ROMERO/ESTADÃO
HÉLVIO ROMERO/ESTADÃO

Avenida Paulista ganha última obra pública de Tomie Ohtake

Instalação da escultura de 7 toneladas e 8,5 metros de altura realiza o sonho da artista de ter peça exposta na principal via de SP

Adriana Ferraz, O Estado de S. Paulo

15 Dezembro 2015 | 03h03

SÃO PAULO - A Avenida Paulista ganha nesta terça-feira, 15, a última obra pública da artista plástica Tomie Ohtake, morta em fevereiro, aos 101 anos. A instalação da escultura de 7 toneladas e 8,5 metros de altura realiza o sonho da artista de ter uma peça sua exposta na principal avenida de São Paulo. 

Resultado de um projeto desenvolvido por Tomie em parceria com a Associação Paulista Viva, a obra teve patrocínio do Banco Citi, que comemora 100 anos no País - suas formas poderão ser vistas na frente do número 1.111 da via, sede do banco.

Presidente do Instituto Tomie Ohtake e um dos filhos da artista, Ricardo Ohtake afirma que a mãe certamente diria que a escultura é uma homenagem à cidade. “A Tomie gostava muito de fazer obras públicas. Ela considerava que essa era uma maneira de as pessoas tomarem gosto pela arte sem precisar visitar um museu ou ir a uma exposição”, conta.

Ao longo da carreira, Tomie fez aproximadamente 50 intervenções urbanas em cidades do Brasil e do exterior. Na capital, as obras mais conhecidas são o Monumento aos 80 anos da Imigração Japonesa, na Avenida 23 de Maio, os painéis da Estação Consolação do metrô, a cobertura do Auditório do Ibirapuera e a tapeçaria do Auditório do Memorial da América Latina, destruída em um incêndio e atualmente em processo de restauração.

“A escultura da Paulista tem a cara, os traços da obra da minha mãe. Quem olhar certamente vai reconhecer seu trabalho”, acredita Ricardo, que classifica a peça como uma “obra reversa”, sem forma definida. 

Tomie costumava dizer que a “linha reta não é da natureza humana”, ao justificar seu apreço pelas curvas, traduzidas em peças que dão a sensação de movimento. A obra que será inaugurada amanhã é mais um exemplo desse portfólio inovador e colorido.

Produzida em aço, a partir de um modelo de 40 centímetros desenhado por Tomie, a escultura foi pintada com tinta contra pichação nas cores vermelha, na face externa, e prata, na face interna. Nesta segunda, quem circulou pela Paulista já pôde apreciar a obra, que recebia os últimos retoques para a inauguração. Sua instalação, segundo a Paulista Viva, leva arte e cultura de qualidade à avenida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.