Paulista: ciclofaixa estreia com recorde de público

Até 16h, pelo menos 40 mil pessoas - segundo organizadores - tinham passado pela via

VALÉRIA FRANÇA, O Estado de S.Paulo

03 Setembro 2012 | 03h04

A Avenida Paulista - que normalmente já se transforma em uma espécie de parque aos domingos - ficou ontem ainda mais animada com a inauguração oficial da ciclofaixa de lazer. A novidade fez sucesso entre os paulistanos e a via recebeu na estreia 40 mil ciclistas, o dobro da média contabilizada em ciclofaixas de outras regiões, de acordo com a empresa organizadora. Todo domingo e feriado, das 7 horas às 16 horas, a pista do lado esquerdo será de uso exclusivo do ciclista.

Nos 2,5 quilômetros de extensão dos dois lados da avenida, cones separavam os ciclistas do trânsito dos carros. A disputa por um espaço na ciclofaixa era grande. "A Avenida Paulista é o maior cartão-postal da cidade e estava todo mundo ansioso", diz a cicloativista Teresa D'Aprile, de 63 anos, fundadora do grupo Saia na Noite, com 30 integrantes fixos.

A ciclofaixa atraiu até mesmo quem não tinha bike. O gerente de pizzaria Clei Barros, de 37 anos, saiu cedo de carro do Jabaquara, na zona sul, para levar o sobrinho Victor Fernando Amigo, de 13 anos, à Avenida Paulista. Antes de chegar ao destino, os dois retiraram duas bicicletas de um posto do Bike Sampa, serviço de aluguel que cobra R$ 10 a hora.

"Hoje era de graça", diz o estudante Guilherme Vilares, de 14 anos, que foi com o pai, Adalberto Parmisciano, dono de estacionamento, e a mãe, a bióloga Mariana. "Temos bicicletas, mas resolvemos testar o aluguel. E ficamos satisfeitos. Funciona."

A novidade fez o trânsito ficar mais lento na região. No início da tarde, a Companhia de Engenharia e Tráfego (CET) registrou 1,4 km de lentidão entre a Rua Frei Caneca e a Avenida Brigadeiro Luís Antonio, sentido Consolação, e 1,3 km entre as Ruas Joaquim Eugênio de Lima e Augusta, no sentido oposto.

Mobilidade. Diretor do CicloBR, instituto de fomento à mobilidade urbana, Felipe Aragonez também foi ontem à Paulista, mas lamenta que a ciclofaixa de lazer não seja uma estrutura fixa. "É bom ganhar outra ciclofaixa, mas não houve praticamente investimento em vias exclusivas para quem usa a bicicleta como transporte."

O instituto fez uma pesquisa na internet para saber o que os ciclistas achavam da ciclofaixa. A maioria respondeu que o importante é ter uma infraestrutura permanente. "Pouco adianta ter ciclofaixa no domingo se na segunda-feira você tem de arriscar a vida pedalando no meio do trânsito."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.