Parlamentar de SP custa mais que deputado federal

Após a Câmara de São Paulo aumentar em 11,1% em abril a verba mensal destinada ao pagamento de até 18 assessores, o gabinete do vereador paulistano se tornou mais caro do que o de qualquer deputado federal.

Bruno Tavares, Diego Zanchetta e Rodrigo Burgarelli, O Estado de S.Paulo

25 Abril 2010 | 00h00

Um vereador paulistano recebe mensalmente de R$ 5 mil a R$ 16,2 mil a mais que os deputados federais, mesmo não tendo custos com passagens aéreas e acomodação. Desde 2007, o teto da verba de gabinete na Câmara de São Paulo subiu 18,4%, de R$ 12,5 mil para R$ 14,8 mil mensais.

São R$ 9,8 milhões anuais que a Câmara disponibiliza aos parlamentares para reembolsos de despesas com advogados, gráficas, assessorias de imprensa, aluguel de carros e de equipamentos e com a contratação de serviços para a elaboração de sites. Isso apesar de a Câmara - que tem 1.989 funcionários - já contar com equipe de procuradores jurídicos, assessores de imprensa, canal legislativo que custa R$ 17 milhões, agência de publicidade de R$ 18 milhões e site na internet de R$ 2,3 milhões.

Notas de despesas de combustível e da realização de seminários fora da sede da Câmara também podem ser indenizadas. A verba de gabinete ainda pode ser acumulada durante o ano. Alguns vereadores pedem poucos reembolsos durante todo o ano, mas, quando chega dezembro, gastam quantias superiores a R$ 50 mil com despesas de Correios, para enviar até 200 mil correspondências para os seus redutos eleitorais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.