Paraitinga inicia reforma de prédio tombado

As obras no imóvel de 1885, orçadas em R$ 612 mil, começam amanhã e devem terminar em julho

Vitor Hugo Brandalise, O Estado de S.Paulo

08 Abril 2010 | 00h00

O primeiro prédio público tombado a ser restaurado em São Luís do Paraitinga (SP), cidade histórica parcialmente destruída pelas enchentes de janeiro, será o Mercado Municipal, apontado como "coração" da cidade ao lado da Igreja Matriz.

As obras, orçadas em R$ 612 mil, começam amanhã e devem terminar em julho.

"Foi uma demanda do município que as obras de restauração na cidade começassem pelo Mercado Municipal, um ponto querido pela população", disse o chefe de gabinete da Secretaria de Estado da Cultura, Sérgio Tiezzi. Será a primeira obra custeada pelo governo estadual na cidade, desde que os trabalhos de limpeza e reconstrução começaram, ainda em janeiro.

Diferentemente de outros imóveis, o Mercado não teve sua estrutura abalada na enchente. Os principais problemas foram na parte elétrica e hidráulica, no telhado e nos banheiros. "Mas resolvemos fazer um restauro completo, com projeto que garantirá a retomada de características originais", adiantou Tiezzi.

O projeto, da arquiteta Lívia Vierno, prevê a drenagem em torno do prédio para evitar infiltração do solo para as paredes.

Construído em 1885, o Mercado - que está aberto para o público desde fevereiro - serve de cenário para a maior parte das festas da cidade, como a Festa do Divino, mais importante celebração religiosa da região, realizada entre 14 e 22 de maio.

A orientação para a empresa restauradora é que - mesmo que as obras não tenham terminado - o Mercado esteja pronto para receber parte das festividades do Divino. "Os trabalhadores vão abrir espaço para servirmos o afogado (prato típico da cidade), enquanto celebrações religiosas serão realizadas na praça", disse a prefeita Ana Lúcia Sicherle (PSDB).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.