Paraíso abandonado

Muitas pessoas conhecem a Praia de Juqueí, em São Sebastião, considerada uma das mais belas do litoral paulista. Há hotéis luxuosos, bons restaurantes e uma boa infraestrutura para receber os turistas nas férias de janeiro e julho. Porém, o que poucos sabem é que as ruas, os rios, os córregos estão mal cuidados, pois a manutenção da infraestrutura da cidade é precária. Muitos turistas já bateram a parte debaixo dos seus carros nas ruas de paralelepípedos, esburacadas. Para a sorte deles e o azar dos moradores, as tempestades caem durante a semana ou no final do domingo. Basta um pouco de chuva para que as ruas fiquem cheias de água e as casas, alagadas. A prefeitura prometeu que iria iniciar as obras de recuperação em março. Já estamos em abril, nada foi feito e as chuvas continuam. Por exemplo, na Rua Athayde Izidoro dos Santos, próxima ao Shopping Monjolo, ninguém consegue sair de casa sem que tenha de pisar na água, o local parece um rio! Prefeito, ainda aguardamos uma solução em relação a esses problemas!

, O Estado de S.Paulo

22 Abril 2010 | 00h00

BRUNA CRISTINA DA SILVA SANTOS / SÃO SEBASTIÃO

A prefeitura de São Sebastião informa que os projetos em relação à pavimentação e a drenagem estão em fase de conclusão. Esclarece que a Regional de Juqueí realiza frequentemente a limpeza das galerias, valas e do Córrego João Rita, que corta o bairro, para que as águas pluviais possam fluir sem obstáculos. Acrescenta que a pavimentação existente hoje foi feita em gestões anteriores com o sistema de drenagem insuficiente para captar o volume de água - o que tem prejudicado os moradores e turistas em época de fortes chuvas. Diz ainda que está trabalhando para corrigir tal erro com a finalidade de impedir alagamentos e transtornos à população.

NET

Proposta não cumprida

Assino a NET Combo para minha casa, desde 1994 e, para meu escritório, desde 2008.

Há cerca de um mês a NET me ligou oferecendo a troca do receptor de casa por um digital

e a migração do NET Virtua de 2 mbps para 3 mbps, com a eliminação de alguns canais

de TV e a inclusão de outros, por um acréscimo de R$ 9,90 ao mês. Mas a NET TV aumentou de R$ 142,16 para R$ 203,80 (mais a cobrança de ponto adicional) e o NET Virtua de R$ 68,50 para R$ 76. O acréscimo foi de R$ 69,14. Em 5/4 liguei para reclamar e dei duas opções: ou a NET cumpria o prometido ou retirava o receptor digital e devolvia o aparelho antigo, cobrando o valor anterior. O atendente transferiu para outra funcionária e "a ligação caiu". Dei um ultimato para que a NET resolvesse a questão até a véspera do vencimento da fatura de abril ou cancelaria minha assinatura.

FRITZ F. JOHANSEN NETO

SÃO PAULO

Andrea Campos da Gestão de Clientes NET São Paulo esclarece que, em 14/4, foram prestados os esclarecimentos referentes aos procedimentos da empresa e foi feita a alteração no contrato, conforme o cliente solicitou.

O leitor comenta: Na terceira tentativa, consegui ser ouvido pela NET. A empresa me mandou novo boleto com os valores do plano anterior, e irá trocar

o aparelho.

CPTM

Desculpas diárias

Durante os 2 últimos meses perdi a conta dos transtornos que me foram causados pelo atraso dos trens da Linha 11, Coral, da CPTM. As desculpas são sempre as mesmas: ou é defeito no trem ou é por causa da sinalização. Isso ocorre todos os dias! Por exemplo, nos dias 12 e 13/4, a desculpa era "defeito no trem". Por isso, tive de sair da estação e tomar um ônibus até o Metrô para continuar meu trajeto. Enfim, paguei a passagem, mas não usufrui do serviço. A plataforma de embarque estava tão cheia que as pessoas já se amontoavam após a faixa amarela e outras tiveram de ficar nas escadas esperando.

SÍLVIA PEREIRA PESSOA

SUZANO

A CPTM informa que, em 13/4, por volta das 7 horas, houve um problema em uma das portas de um trem com destino à Estação da Luz, que parou na Estação Dom Bosco da Linha 11, Coral (Expresso Leste). Esclarece que o procedimento-padrão nesses casos é a composição permanecer na estação para que os empregados solucionem o problema. Explica que, até a resolução, os demais trens não puderam prosseguir, atrasando a viagem de todos. Argumenta que o Plano Expansão SP trouxe melhorias para os usuários da zona leste, como também a Operação Embarque Melhor, e que os intervalos entre os trens da linha citada foram reduzidos de 7 para 5 minutos nos horários de pico. Diz ainda que, em 2010,

novo sistema de sinalização será adotado para reduzir o tempo dos intervalos entre as composições, que reformou 13 trens para a Linha 11 e, para 2011, haverá mais 9 novos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.